O retorno às aulas na rede estadual de ensino está previsto para a próxima segunda-feira (8/2)

O retorno às aulas

O retorno às aulas na rede estadual de ensino está previsto para a próxima segunda-feira (8/2). O assunto é polêmico e divide opiniões. Na tarde desta quinta-feira (4/2), deputados favoráveis e contrários à medida se pronunciaram na tribuna da Alesp defendendo seus pontos de vista.O primeiro parlamentar a falar sobre o assunto foi o deputado Douglas Garcia (PTB) e exibiu em vídeo um carro da Apeoesp passando nas ruas pedindo que os pais não levem os filhos à escola. "Isso é terrorismo. Estão espalhando o terror nas cidades", afirmou Garcia. "Querem que as pessoas fiquem presas em casa sem conseguir fazer nada. Quantas crianças não vão sofrer as mazelas de não poder voltar às escolas?", indagou.Para o deputado Carlos Giannazi (PSOL), o trabalho da Apeoesp é de conscientização. "Nós, educadores, estamos defendendo a vida e esse trabalho da Apeoesp é importante". Giannazi também citou escolas que suspenderam as atividades depois de contágios por coronavírus. "O Colégio Maria Imaculada, uma escola de classe média, fechou suas portas porque já tem casos de contaminação. É uma escola particular, que tem todas as condições materiais de oferecer condições para o funcionamento dos protocolos". Giannazi também exemplificou com a Escola Estadual Ermelino Matarazzo, da rede estadual. Após contaminação de um funcionário da secretaria e suspeita de outros casos, a escola decidiu não retomar as aulas presenciais no dia 8 de fevereiro.
Durante esta semana, os professores da rede estadual estão comparecendo às escolas para realizar o planejamento das atividades. "Imaginem quando os alunos estiverem nas escolas, vai ser uma tragédia geral. Há vários casos de escolas que fecharam suas portas pois não é possível nem fazer mais o planejamento presencial", ressaltou Giannazi.Favorável às aulas presenciais, o deputado Castello Branco (PSL) ponderou que "só o que pode salvaguardar uma gloriosa nação é educação, com bons professores, boas escolas. As escolas têm de abrir, é o nosso futuro". Branco associou educação com economia. "Os estados que não valorizam a educação, em geral têm uma economia frágil, portanto a nossa conclusão é que as escolas devem abrir e que lugar de criança é na escola".Nesta semana, duas escolas de Campinas anunciaram suspensão das aulas depois de surtos de Covid-19.

Para o deputado Daniel José (Novo), isso fortaleceu indevidamente os grupos que são contra a volta às aulas. "Esses grupos estão sendo bem-sucedidos e a ameaça de fechar as escolas novamente é uma ameaça real". Daniel José considera que a "maior parte da contaminação aconteceu numa formação de professores em que os protocolos sanitários foram desrespeitados". Citando publicações médicas, o parlamentar afirmou que as taxas de contaminação em escolas são baixas. "Diversos países, como Estados Unidos, Alemanha e França, tomaram a decisão de manter as escolas abertas mesmo em períodos com número de casos altos. Só 6% dos casos são transmitidos pelas crianças. Isso é importante enfatizar", declarou o parlamentar, que considera que as escolas são ambientes mais seguros do que shoppings e restaurantes.