A previdência social é um dos pilares da seguridade social, ou seja, esta última abrange não apenas a previdência, mas também a assistência social e a saúde pública, formando um conjunto em prol da garantia da qualidade de vida do cidadão.

Convocação

As centrais sindicais e movimentos sociais realizam na próxima sexta-feira, 22 de março, o Dia Nacional de Luta em Defesa da Previdência.

Procure em sua cidade onde será a manifestação em defesa da previdência.

Acontecerá em várias cidades do Brasil. Será um dia de luta em defesa dos direitos do cidadão trabalhador. Esta reforma da Previdência, acaba com o direito à aposentadoria de milhões de trabalhadores e trabalhadoras.

Todos devem se unir à luta dos sindicatos contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 06/2019, da reforma da Previdência, que restringe o acesso e reduz o valor dos benefícios previdenciários.

A PEC dificulta o acesso e reduz o valor dos benefícios ao estabelecer a obrigatoriedade da idade mínima de 65 anos para os homens, 62 para as mulheres e aumentar o tempo de contribuição de 15 para 20 anos, além de retirar da Constituição o sistema de Seguridade Social brasileiro.

Querem retirar o pagamento da multa de 40% do FGTS aos trabalhadores que se aposentam e continuam trabalhando na mesma empresa.

"O governo não está atacando somente a aposentadoria. A proposta de Bolsonaro ataca também direitos sociais e previdenciários garantidos pela Constituição como o auxílio doença. E ainda propõe a redução do valor dos benefícios de viúvas e órfãos, que acumulam benefícios".

Em abril de 2017, a classe trabalhadora barrou a proposta de reforma da Previdência apresentada pelo ilegítimo Michel Temer (MDB), depois da maior greve geral da história do país.

Mais de 45 milhões de trabalhadores em todo o país cruzaram os braços para dizer não à reforma de Temer. A proposta de Bolsonaro é ainda pior que a anterior e, por isso, o dia 22 de março tem que ser ainda maior.

Em ação

Além da mobilização da classe trabalhadora no Dia Nacional de Luta em Defesa da Previdência, outras ações estão sendo realizadas contra a reforma. As centrais sindicais estão em Brasília, nesta semana, para dialogar com parlamentares sobre as atrocidades da proposta de Bolsonaro.

"Já cobramos do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e do Senado, Davi Acolumbre (DEM-AP) e dissemos aos parlamentares que se votarem a favor, não serão reeleitos".

Veja os locais onde serão realizados atos no dia 22:

São Paulo:

Capital: ato às 17h, em frente ao MASP, na Avenida Paulista

Rio Grande do Sul:

Porto Alegre: ato às 18h, na Esquina Democrática

Mato Grosso do Sul:

Campo Grande: paralisação com ato público às 9h na Praça do Rádio Clube. Em todo o estado a FETEMS realizou assembleias com os trabalhadores, que aprovaram greve geral no dia 22.

Ceará:

Fortaleza: ato às 8h na Praça da Imprensa (bairro Dionizio Torres)

Santa Catarina:

Florianópolis:

Panfletagem das 7h às 9h;

Seminário sobre a reforma da Previdência, às 10h;

Ato em defesa da Previdência, às 17h, no Ticen.

Acre:

Rio branco: ato e panfletagem às 8h, em frente à sede do governo do estado (Palácio Rio Branco)

Fonte:Andre Accarini


O Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iamspe) é o plano de saúde do servidor que oferece atendimento médico local em 175 municípios. Sua rede própria e local é formada por postos de atendimento, hospitais, clínicas de fisioterapia, laboratórios de análises clínicas e de imagem, além de médicos que atendem em consultórios e clínicas particulares. 

NOVO SUPERINTENDENTE DO DEPARTAMENTO DE ESTRADAS DE RODAGEM

SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TRANSPORTES
Decreto de 11-1-2019
Nomeando, nos termos do inc. I do art. 20 da LC 180-78, o

abaixo indicado para exercer, em comissão e em Jornada Completa de Trabalho, de prestação de 40 horas semanais, o cargo a seguir relacionado do Quadro do Departamento de Estradas
de Rodagem - D.E.R., da EV-C a que se a LC 1.080-2008, do SQC-I-QDER:
Departamento de Estradas de Rodagem - Superintendência:
Superintendente: Paulo César Tagliavini, RG 6.247.101, vago
em decorrência da exoneração, a pedido, de Raphael do Amaral
Campos Júnior, RG 4.541.124-4.