RODOVIA RIO SANTOS - NOVA DUTRA

05/02/2019

Ministro diz que rodovia Rio-Santos será concedida à iniciativa privada junto com Nova Dutra

Tarcísio Freitas (Infraestrutura) se reuniu em Brasília com governador de São Paulo, João Dória. Na reunião, também foi discutida a construção do Ferroanel de São Paulo.

Por Laís Lis, -10/01/2019

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, afirmou nesta quinta-feira (10/01/2019) que o governo vai incluir a rodovia Rio-Santos (trecho da BR-101) no leilão de relicitação da Nova Dutra (Rio-São Paulo).

Em 2017, o Programa de Parcerias de Investimentos (PPI)

Decidiu relicitar a concessão Nova Dutra, que está próximo de vencer. O trecho é operado pela empresa CCR e é a principal ligação terrestre entre o Rio de Janeiro e São Paulo.

"A Rio-Santos será feita dentro do que será a nova concessão da Nova Dutra", afirmou o ministro após se reunir com o governador de São Paulo, João Doria (PSDB).

Para o governador, a concessão da Rio-Santos para a iniciativa privada vai melhorar a qualidade da rodovia, diminuir acidentes e fomentar o turismo no litoral.

"A Rio-Santos é um modal importante sobretudo para o turismo nessa região do litoral norte de São Paulo. Não faz sentido que uma rodovia dessa importância não esteja concessionada e sendo operada pelo setor privado, melhorando a sua eficiência, reduzindo o seu potencial de acidentes e melhorando a funcionalidade para irrigar a indústria do turismo", disse Doria.

Ferroanel

Na reunião, afirmou Tarcísio, também foi falado da construção do Ferroanel de São Paulo e do trem intercidades.

Segundo o ministro, o Ferroanel será construído com a renovação antecipada do contrato da empresa MRS.

Em julho do ano passado, o PPI aprovou a inclusão do Ferroanel no programa. A previsão é que a ferrovia seja construída pela MRS como contrapartida pela renovação dos contratos das ferrovias que pertencem à empresa.

O Ferroanel Norte terá 53 quilômetros e permitirá o desvio de trens de carga que hoje dividem os trilhos com a companhia de metrô de São Paulo. O governo estima que o projeto exigirá um investimento de R$ 5 bilhões.

O Contorno Ferroviário da Região Metropolitana de São Paulo, chamado também como Ferroanel, é um projeto de ligações ferroviárias entre as principais ferrovias que cortam a Região Metropolitana de São Paulo, formando um contorno ferroviário fora da mancha urbanizada mais densa da RMSP.

Seu objetivo principal é ampliar a capacidade do transporte ferroviário na região e separar a operação do transporte de cargas do transporte urbano de passageiros nas linhas que hoje são utilizadas em conjunto pela Companhia Paulista de Trens Metropolitanos(CPTM) e pela MRS Logística S.A. (responsável pelo transporte de cargas), permitindo também a melhoria do sistema de transporte público ferroviário da região.

No projeto atual, o Ferroanel utiliza-se de grandes trechos ferroviários existentes desde Campinas até próximo a Serra do Mar, com a adição de dois novos ramos (Norte e Sul), próximos a capital paulista. A partir de Campinas, em sentido horário, considera-se o trecho entre Boa Vista e Jundiaí, do antigo Tronco da Paulista; o trecho de Jundiaí a Perus da Linha Santos-Jundiaí; o trecho entre Perus e Engenheiro Manoel Feio do Ferroanel Norte, a ser construído; a Segregação Leste, entre Engenheiro Manoel Feio e Suzano, construído pela MRS em 2014; o Ramal de Suzano, entre Suzano e Rio Grande da Serra; o trecho entre Rio Grande da Serra e Evangelista de Souza do Ferroanel Sul, a ser construído; o trecho entre Evangelista de Souza e Mairinque, da Linha Mairinque-Santos; e por fim, o trecho entre Mairinque e Boa Vista, da Variante Boa Vista-Guaianã, fechando o "anel" ferroviário.

O Ferroanel Norte é o projeto de um ramal ferroviário com 53 km de extensão em via dupla e em bitola larga (1,60 m), para o transporte exclusivo de cargas destinada a contornar a parte norte da Região Metropolitana de São Paulo, permitindo a movimentação de cargas do interior do estado para o Porto de Santos, bem como a passagem de comboios entre o interior e o Vale do Paraíba.

O traçado do Ferroanel Sul ligará Ouro Fino Paulista, na antiga Linha Santos-Jundiaí, em Ribeirão Pires, à Estação Evangelista de Souza, na Linha Mairinque-Santos, em Parelheiros, flexibilizando os acessos ferroviários ao Porto de Santos, beneficiando diretamente a movimentação de cargas na Baixada Santista.

  • JOÃO DORIA