Parasitismo não!

29/04/2020

Não é de hoje que os servidores públicos são pintados como vilões. Recentemente, o ministro da Economia,
Paulo Guedes, nos comparou a "parasitas". Isso é ofensivo, inaceitável e se caracteriza como assédio moral. Lamento que um integrante do primeiro escalão do Governo Federal exponha trabalhadores de modo pejorativo, injurioso e difamatório perante toda a sociedade, inclusive com inverdades sobre nossa situação salarial. Sabemos que a grande massa dos servidores públicos - e, aí estão professores, médicos
e policiais, por exemplo - não tem salários elevados. Pior, levam esse baixo rendimento para a velhice, fase da vida em que mais carecemos de recursos - que se tornaram ainda mais difíceis de alcançar depois da reforma estadual da Previdência.
Ao jogar a opinião pública contra os funcionários públicos, Paulo Guedes incitou o confronto, o preconceito e a discriminação contra uma parcela expressiva dos trabalhadores brasileiros. Seu pedido de desculpas, posterior,não recuou a gravidade do malfeito.
A situação é grave e a Associação dos Servidores Públicos não mede esforços para defender os servidores públicos.
Diversos veículos de comunicação publicaram nossas críticas contra a forma como o ministro tem se manifestado sobre os trabalhadores deste país.
Álvaro Gradim (Associação dos Servidores Públicos do Estado de São Paulo)