Maior numero de óbitos pelo coronavírus

24/04/2020

São Paulo registra 211 mortes por coronavírus em 24h e total sobe para 1.345 no estado

Estado possiu 16.740 casos confirmados da doença e ocupação de leitos de UTI na capital é de 74%.

Por Marina Pinhoni e Renata Bitar*, São Paulo

23/04/2020 

O estado de São Paulo registrou 211 novas mortes por coronavírus em 24 horas nesta quinta-feira (23) e o número total subiu para 1.345 desde o início da pandemia, segundo a Secretaria Estadual de Saúde. Também já são 16.740 casos confirmados da doença no estado.

Isso não significa, no entanto, que as mortes aconteceram necessariamente de um dia para o outro, já que os dados precisam ser incluídos em um sistema e há a liberação de resultados de testes que foram realizados anteriormente. Na quarta-feira (22), o Governo de São Paulo anunciou que zerou a fila de 17 mil amostras represadas e que o processamento deve acontecer agora em até 48 horas.

"Porque esse salto no número de óbitos? Durante o feriado prolongado até ontem, o número de óbitos parecia modesto, aumento que era 3,5% se não estou enganado. E hoje temos um aumento importante, porque o sistema e os cartórios onde chegam os óbitos, eles funcionam de uma forma mais lenta durante o feriado prolongado e houve atualização dos números", afirmou Paulo Menezes, Coordenador de Controle de Doenças.

Segundo a secretaria, 256 municípios têm pelo menos um caso confirmado da doença e 114 cidades já registraram pelo menos uma morte. A maioria das mortes ainda se concentra na capital, com 912 registros. No entanto, o número de óbitos cresceu 21 vezes no interior, litoral e outras cidades da Grande São Paulo. Balanço desta quinta aponta 433 mortes nessas regiões. No dia 1º de abril, eram apenas 20 mortes fora da cidade de São Paulo.

Há um aumento expressivo nas internações por Covid-19, com 7.003 suspeitos e confirmados nos hospitais de São Paulo - 2.807 internados em UTI e 4.196 em enfermaria. Na quarta-feira (22), o número total de internados por suspeita ou confirmação era de 6.163.

A taxa geral de ocupação nas UTI de hospitais públicos e privados do estado é de 55,3% (4.342 leitos) e na enfermaria de 37,4% (8.960 leitos). Já na Grande São Paulo, a taxa de ocupação de UTI é de 74% (2.469 leitos) e de 57,8% nas enfermarias (4.479 leitos).

Vários hospitais de referência já estão com o sistema sobrecarregado. A taxa de ocupação das UTIs dos hospitais mais procurados na Região Metropolitana varia entre 96% no Instituto Emílio Ribas e 89% no Hospital Mário Covas de Santo André.

Hospitais com maior taxa de ocupação

Instituto de Infectologia Emílio Ribas: UTI 96%; enfermaria 64%

Hospital das Clínicas de São Paulo: UTI 93,5%; enfermaria 69%

Hospital Geral de Carapicuíba: UTI 89%; enfermaria 64%

Hospital Regional de Cotia: UTI 78%; enfermaria 46%

Hospital Estadual Mário Covas de Santo André: UTI 89%; enfermaria 43%

Isolamento social

A taxa de isolamento social no estado de São Paulo caiu para 48% quarta-feira (22), de acordo com o Sistema de Monitoramento Inteligente (Simi) do governo estadual. O ideal para conter a propagação do vírus, segundo as autoridades de saúde, é que o valor chegue a 70%, taxa nunca alcançada no estado.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou que pode rever a flexibilização da quarentena nas cidades que tiverem taxas de isolamento inferiores a 50%. A reabertura gradual da economia no estado deve acontecer a partir do dia 11 de maio.

*com supervisão de Marina PInhoni