Eleições no Congresso em resumo: tensão, "traição" e vitória governista

Rodrigo Pacheco, do DEM, 

Eleito presidente do Senado com apoio de Bolsonaro e dez partidos- 78 senadores- O Senador por Minas Gerais recebeu 57 votos e comandará a Casa pelos próximos dois anos.

Pacheco derrotou Simone Tebet (MDB-MS); outros três senadores desistiram da candidatura.

Presidente da Câmara -Arthur Lira (PP-AL)

O primeiro ato de Arthur Lira (PP-AL) como novo presidente da Câmara já dividiu os parlamentares da Casa na madrugada de hoje, logo após o anúncio de que ele anulava, a partir de então, a decisão de Rodrigo Maia (DEM-RJ) que aceitou o registro do bloco de apoio a Baleia Rossi (MDB-SP), seu principal adversário, convocando uma nova eleição para a Mesa Diretora da Casa para amanhã, às 16h.

Na prática, a decisão do novo presidente tira da Mesa Diretora alguns partidos do bloco composto por PT, MDB, PSDB, PSB, PDT, Solidariedade, PCdoB, Cidadania, PV e Rede, partidos que apoiaram a candidatura de Rossi. Além disso, o PT deve perder o direito à 1ª secretaria.

O placar final da votação ficou assim:

  • Arthur Lira (PP-AL): 302 votos
  • Baleia Rossi (MDB-SP): 145 votos
  • Fábio Ramalho (MDB-MG): 21 votos
  • Luiza Erundina (PSOL-SP): 16 votos
  • Marcel Van Hattem (Novo-RS): 13 votos
  • André Janones (Avante-MG): 3 votos
  • Kim Kataguiri (DEM-SP): 2 votos
  • General Peternelli (PSL-SP): 1 voto
  • Em branco: 2 votos

Como ele obteve a maioria absoluta (metade mais um) de votos dos presentes, não houve um segundo turno. Ao fazer seu discurso de posse, Lira o fez de pé.

- Faço questão de iniciar esta jornada como os senhores estão vendo, de pé, em homenagem a todos os presentes, a todos os partidos, aos que votaram e não votaram em mim - declarou.

Ele prometeu respeitar "as forças vivas desta Casa Legislativa e a proporcionalidade". O deputado também disse que a política tem uma dívida com o povo brasileiro, conclamando os partidos a buscar pontos mínimos e comuns para ajudar os brasileiros a enfrentar a pandemia. Também defendeu a vacinação.

O novo presidente da Câmara dos Deputados prometeu ouvir todos os lados e destacou o simbolismo da arquitetura da mesa dos trabalhos, que se encontra no meio das duas tribunas de oradores, destacando a natureza coletiva do trabalho.

Sobre as reformas econômicas, Lira afirmou que é preciso ouvir os empresários sobre o que é possível pactuar politicamente e de forma transparente.

- Qual reforma fazer e qual sua profundidade não é uma resposta que cabe ao presidente da Câmara dar, mas sim uma pergunta a fazer aos empresários, aos sindicatos e aos governantes - disse.

Demais candidatos

Em segundo lugar na eleição ficou o deputado Baleia Rossi (MDB-SP), com 145 votos. Em seguida, aparecem Fábio Ramalho (MDB-MG), com 21 votos; Luiza Erundina (Psol-SP), com 16 votos; Marcel van Hattem (Novo-RS), com 13 votos; André Janones (Avante-MG), com três votos; Kim Kataguiri (DEM-SP), com dois votos; e General Peternelli (PSL-SP), com um voto. Também foram registrados dois votos em branco.

Cargos na Mesa

Em seu primeiro ato como presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira revogou o bloco partidário de Baleia Rossi, marcando para esta terça-feira (2), às 16h, uma nova eleição para os dois vice-presidentes; os quatro secretários; e os quatro suplentes de secretários.

Lira considerou fora do prazo o pedido do PT, do PDT e do PSB para adesão e formalização do bloco de Rossi (PT, MDB, PSB, PSDB, PDT, Solidariedade, PCdoB, Cidadania, PV e Rede). Esses partidos haviam argumentado que tiveram problemas técnicos para enviar o pedido pouco antes do prazo final, ao meio-dia de segunda-feira.

A formação dos blocos parlamentares influencia a distribuição dos cargos da Mesa. Quanto maior o bloco, a mais cargos tem direito na Mesa. Como o bloco de Rossi passou a ser considerado não existente, Lira determinou à Secretaria-Geral da Mesa o recálculo da distribuição dos cargos, desconsiderando as candidaturas para os demais cargos que foram indicadas por esse bloco.

Perfil

Arthur Lira tem 51 anos e está no terceiro mandato de deputado federal. Empresário, agropecuarista e bacharel em direito, Lira iniciou a vida pública em 1993, quando se elegeu vereador em Maceió. Antes de chegar à Câmara, também foi deputado estadual em Alagoas. É filho do atual prefeito de Barra de São Miguel (AL), o ex-senador Benedito de Lira.

Da Agência Câmara de Notícias

Agência Senado (Reprodução autorizada mediante citação da Agência Senado)

Fonte: Agência Senado