CEAMA de BARRETOS

03/12/2020

Diretor do Iamspe não concorda com projeto do Governo Estadual

Foi publicado no Jornal de BARRETOS 21 de agosto de 2020

O envio de alguns Projetos de Lei para a Assembleia Legislativa de São Paulo, pelo governador João Doria, está gerando preocupações entre os servidores públicos, em virtude da extinção de algumas autarquias, e o remanejamento do Iamspe (Instituto de Assistência Médica do Servidor Público Estadual), através da PL 529. Para adotar essa medida, o Governo de São Paulo, justifica um déficit de R$ 10 milhões, que foi gerado pela pandemia em 2020.

Para o coordenador regional do Iamspe de Barretos, Célio Geraldo Almeida, com essa medida quem vai pagar a conta são os Servidores Públicos Estaduais. "Estamos preocupados com essa medida, porque estão abrindo mão de muitas empresas que não pagam os seus débitos", afirmou Célio.
De acordo com o Célio Almeida, uma das medidas que o Projeto de Lei, estabelece ainda reajuste da alíquota de desconto de 2% para 3%, e ainda estará incluindo o cônjuge pagando 1% e quem tiver mais de um filho 0,5% para cada um.            "Os servidores com mais de 59 anos, que são maioria, pagarão 3% de alíquota. Como iremos pagar as nossas dívidas e nossas contas, e iremos ter que pagar 14% de alíquota da Previdência", afirmou Célio.

Célio Geraldo de Almeida, faz parte da diretoria  da Saúde do Sindicato SISDERESP,  vem trabalhando com afinco para que o IAMSPE lembre dos servidores e funcionários do serviço publico que dependem do CEAMA. Como a cardiologia, neurologia, reumatologia, endocrinologia e muitos outros exames, pacientes são obrigados a procurar outras cidades da região. 

Nesse dia 03 de dezembro de 2020 na reunião em Barretos não foi possível seu comparecimento e justifica sua ausência.