Vigilantes fazem ato na Câmara de Sorocaba em prol de piso de R$ 3 mil

O presidente do Sindicato dos Vigilantes de Sorocaba e Região, Sérgio Ricardo dos Santos, utilizou a tribuna da Câmara para pedir apoio político na luta pela melhoria salarial da categoria. Os trabalhadores, que lotaram o plenário, denunciam a defasagem do piso da categoria, que hoje é de 1149 reais no Estado de São Paulo. Santos afirmou que a categoria está desvalorizada e que os 23 sindicatos no Estado de São Paulo reivindicam um novo piso de 3 mil reais.


“O profissional que dá a vida diariamente pelo cliente, sai de manhã de casa e não sabe se volta, tem que ser reconhecido referente a sua periculosidade. Sorocaba saiu na frente e aqui nós conquistamos. Ficamos felizes em saber que esta Casa se preocupa com nossa segurança e da comunidade”, afirmou Santos. ”

O presidente do Sindicato afirmou que os vigilantes, que são regulados por lei federal, sofrem discriminação e perseguição patronal e denunciou a contratação e profissionais irregulares e despreparados. Outras reivindicações da categoria são a mudança na escolaridade exigida e a liberação de vigilantes femininas nos bancos. O presidente também parabenizou o vereador Irineu Toledo (PRB) pela apresentação do Projeto Lei nº 283/2014, aprovado pela Câmara, que traz maior segurança às agências bancárias.

Em nome do Legislativo sorocabano, Claudio do Sorocaba I (PR) anunciou que a Câmara está redigindo uma moção de apoio à reivindicação da categoria que será encaminhada à Assembleia Legislativa de São Paulo, à Câmara Federal e ao Senado.

Recentemente os vigilantes conquistaram 30% de reajuste em razão da periculosidade. Agora a luta dos companheiros é pelo Piso Salarial Nacional e Unificado no valor de R$ 3 mil. O valor é próximo àquele defendido pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) para agosto de 2014: R$ 2.861,55.



Fonte: Assessoria de imprensa do Sindicato dos Vigilantes de Sorocaba - 07/11/2014