TAMANDUÁ ATROPELADO EM RODOVIA PASSA POR CIRURGIA EM BOTUCATU

TAMANDUÁ ATROPELADO EM RODOVIA PASSA POR CIRURGIA EM BOTUCATU

03/09/2014 07h20 - Atualizado em 03/09/2014 16h16

 Caio Gomes Silveira

Do G1 Itapetininga e Região

 
 
 
 
Animal foi levado para especialistas na Unesp de Botucatu  (Foto: Divulgação/ Bombeiros Avaré)Animal foi levado para especialistas na Unesp de
Botucatu (Foto: Divulgação/ Bombeiros Avaré)

O tamanduá-bandeira que foi resgatado após ficar três dias ferido às margens de uma estrada vicinal de Águas de Santa Bárbara deverá passar por cirurgia a partir da próxima segunda-feira (8). A informação é da equipe veterinária do Centro de Medicina e Pesquisa em Animais Selvagens (Cempas) da Universidade Estadual Paulista (Unesp) deBotucatu (SP), onde o animal está recebendo tratamento.

Em entrevista ao G1, a veterinária residente do Cempas, Stéphanie Rodrigues e Silva, afirma que o animal já foi hidratado, medicado e passa bem. Ele ficou 72 horas deitado no asfalto com uma fratura na pélvis - região da bacia -, sem comer ou beber e debaixo do sol e do sereno . “Avaliamos nesta segunda-feira (1°) que há a necessidade de cirurgia para que ele possa se curar completamente. Após a total recuperação dele, que provavelmente acontecera depois de no mínimo dois meses, o tamanduá será devolvido a um local de mata densa próximo de onde foi atropelado”, explica.

O tamanduá de 1,20 metro e cerca de 30 quilos chegou ao centro com muitas dores e em estado crítico, informa a especialista. "Não sei exatamente quantos dias um animal desse porte pode sobreviver naquelas condições, mas dá para dizer que não poderia ficar por muitos dias sem atendimento”, afirma.

O animal silvestre foi resgatado pelo motorista Jesus Agnaldo Sioruçi, morador de Manduri(SP). O “salvador” do bichinho comenta que todos achavam que ele estava morto à beira da rodovia, mas no momento em que passava pelo local, ele se mexeu.

“Passava pela estrada por acaso, pois tinha ido até Águas de Santa Bárbara para ajudar um amigo que teve um problema mecânico com o caminhão. Na volta a Manduri encontramos o tamanduá caído no chão. Perguntei para ele sobre o animal e ele comentou que o bicho já estava morto e que há três dias estava ali. Mas bem no momento em que passávamos, o tamanduá se mexeu na tentativa de se levantar. Vendo isso pedi para que parasse o caminhão e resgatar o bicho. Foi muita sorte”, reflete.

O motorista explica que depois de pararem, chamaram os bombeiros de Avaré (SP) e a Polícia Militar de Iaras (SP). Durante o momento em que esperavam por alguém, providenciaram sombra e água para o tamanduá. “Para não mexer com o bicho, o que podia piorar a situação, quebrei alguns galhos de eucalipto e fiz uma cobertura para ele. Joguei um pouco de água nos lábios dele também, para tentar pelo menos refrescar."

O homem diz ter ficado feliz com a oportunidade de prestar socorro a um animal. “Fui até Águas de Santa Bárbara para ajudar um amigo e no fim da história acabei ajudando também a salvar uma vida. É muito gratificante, depois que voltei para casa e o tamanduá foi levado, me senti aliviado”, comenta.

Tamanduá-bandeira tem mais de 1,20 metro de comprimento (Foto: Divulgação/ Bombeiros Avaré)Tamanduá-bandeira tem mais de 1,20 metro de comprimento (Foto: Divulgação/ Bombeiros Avaré)