SindimotoSP busca melhorias para setor de duas rodas profissional em âmbito federal, estadual e municipal

SindimotoSP busca melhorias para setor de duas rodas profissional em âmbito federal, estadual e municipal

O SindimotoSP tem reivindicado junto aos representantes dos governos  federal, estadual e municipal, melhorias no setor de motofrete. Algumas conquistas tem beneficiado os trabalhadores do setor em todo Brasil, como a modificação da “Lei da Viseira” e, principalmente, a aprovação da Periculosidade, entre outras. Em âmbito estadual, o SindimotoSP conseguiu mais de 30 mil cursos gratuitos, por exemplo e, na capital, os motofretistas não deixaram de circular pelos principais “corredores” de trânsito nem tiveram impedidos, o direito de levar garupa.


Ainda tem muito o que fazer, mais o SindimotoSP não descansa e, de domigo a domingo, visita empresas que não cumprem a Convenção Coletiva, participa de reuniões com representantes dos poderes públicos etc.

Veja abaixo, algumas das reivindicações que o sindicato está lutando para conquistar para os motofretistas, mototaxistas e ciclistas profissionais:

Governo Federal
- Oferta de linhas de financiamento para aquisição de motocicletas e equipamentos obrigatórios, com taxas de juros subsidiadas para o profissional que tiver o curso de 30 horas.
- Formação de parceria entre o governo e o Instituto Motofrete para qualificação de profissionais.
- Realização de campanhas de orientação específicas para o setor em relação à criação de leis e regulamentação no âmbito dos municípios.
- Implantação de um programa de proteção ao motociclista - PPM.

Governo Estadual
- Desburocratização da documentação de responsabilidade estadual.
- Isenção do IPVA.
- Cursos de qualificação.
- Campanhas educacionais específicas para motofretistas e mototaxistas.
- Linha de financiamento estadual.
- Isenção de impostos na compra de motos novas.

Governo Municipal
- Volta das motofaixas nas principais vias públicas da cidade.
- Bolsões de estacionamento para motofretistas.
- Criação e sinalização de corredores virtuais.
- Fiscalização regular nas empresas clandestinas.
- Campanha educativas e de orientação para o setor.