Sindicato mantém greve, mas inicia coleta parcial de lixo em Americana

Sindicato mantém greve, mas inicia coleta parcial de lixo em Americana
Há desde restos de comida até móveis em pilha de sujeira no Centro. Foto: Reprodução/EPTV

Servidores municipais retomaram parcialmente a coleta de lixo em Americana (SP), na tarde desta quarta-feira (12), segundo o sindicato que representa a categoria. A interrupção do serviço começou há cinco dias em virtude de atraso nos salários e, por enquanto, segundo a entidade apenas 15 dos 80 funcionários do setor aceitaram retornar ao trabalho até que a Prefeitura efetue todos os pagamentos e também apresente garantias financeiras para os próximos meses. Em nota, a administração afirma que a coleta "começou a ser normalizada" e que, inicialmente, será realizada a limpeza do lixo acumulado na região central da cidade.

"Após reunião na garagem, foram designados três caminhões de coleta, que representam 30% da frota, e 15 funcionários para a limpeza do Centro", disse Rogério Wanzo, diretor do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Americana. Segundo ele, os outros trabalhadores se recusaram a voltar ao trabalho e decidiram, em assembleia, manter a greve na quinta-feira. A administração informou que, por dia, 205 toneladas de lixo são coletadas na cidade.

De acordo com Wanzo, pelo menos 40% dos cinco mil servidores concursados, entre eles profissionais da saúde e educação, continuam de braços cruzados. Na terça-feira, a categoria rejeitou acordo da administração para depósito imediato de R$ 1 mil, além do complemento da folha até terça-feira, por meio do desbloqueio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

"Nós queremos que o prefeito interino [Paulo Chocolate] mostre, com documentos, quais são as condições da Prefeitura e se comprometa a não atrasar mais os salários. Precisa mostrar que há planejamento", criticou o sindicalista.

A Prefeitura não confirmou o percentual de adesão da greve informado pelo sindicato até esta publicação. Sobre a coleta especificamente, o Executivo afirmou, por meio da assessoria de imprensa que os coletores que iniciaram o turno das 15h foram para as ruas e voltaram a realizar o serviço.

Lixo

A equipe do Jornal da EPTV, afiliada TV Globo, percorreu as ruas da cidade nesta quarta-feira e constatou que não é possível andar mais de 200 metros sem encontrar lixo espalhado pelas calçadas. Sacos foram vistos espalhados pelo chão até no Hospital Municipal, pois não há mais lugar para empilhar tanta sujeira.

No entanto, o local com maior acúmulo encontrado pela reportagem foi em uma calçada no Centro da cidade. Na pilha de sujeira há desde restos de comidas até móveis. Quem passa por ali, além de suportar o mau cheiro ainda tem que desviar e se arriscar pela rua. Muito lixo também foi visto ao redor da Prefeitura.

Prejuízos

Segundo a Prefeitura, o Hospital Municipal e o Núcleo de Especialidades funcionam com atendimento parcial, enquanto que serviços no Hospital infantil André Luiz continuam sem alterações. Em relação aos 24 postos de saúde, a administração informou que 13 sofreram reflexos com a greve e funcionam parcialmente, enquanto 11 permanecem normalizados.

Na área de educação, nove das dez creches do município suspenderam as atividades, nesta quarta-feira, por causa da greve. Entre as três escolas de educação infantil, uma aderiu à paralisação dos servidores, uma funciona parcialmente e a outra atende ao público. Em relação às Casas da Criança, seis participam da greve, sete funcionam parcialmente e duas permanecem com serviços inalterados, segundo a administração municipal.

Sobre o ensino fundamental, a Prefeitura informou que, entre as dez unidades, cinco interromperam as aulas, quatro funcionam parcialmente e uma permanece normalizada.

 

Motivação política

A administração municipal informou, em nota divulgada pela manhã, que o depósito de R$ 1 mil quitou o salário total de 2.287 funcionários e adiantou que o complemento da folha pode ser antecipado, caso o município consiga desbloquear o FPM nos próximos dias. Além disso, frisou que passa por uma crise financeira e efetuou os acertos possíveis dentro do atual cenário.



Fonte: G1 - 13/11/2014