Sindicato encaminha denúncia ao MP-RJ sobre más condições de prédio do Inea

O Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Saneamento e Meio Ambiente (Sintsama-RJ) encaminhará denúncia na segunda-feira (13) ao Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) e ao Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-RJ) solicitando que medidas sejam tomadas sobre as condições em que se encontram as instalações do Instituto Estadual do Ambiente (Inea). Na última quarta-feira (8), um dos prédios do instituto recebeu a visita de um engenheiro da Defesa Civil do Rio para vistoriar o local.


Segundo o sindicato, há mais de um ano são feitas denúncias de que as condições das instalações colocam em risco a vida dos trabalhadores. Em um dos prédios, elevadores operam em estado precário de conservação e já houve situações de evacuação do local após as explosões para a construção do Porto Maravilha, provocando correria dos funcionários. Segundo o sindicato, com as obras do porto, o prédio teve sua estrutura abalada e apresenta rachaduras da garagem ao sexto andar.

De acordo com a Defesa Civil e a Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos, o engenheiro enviado para vistoriar o imóvel localizado na Avenida Venezuela, na região portuária, constatou queda de revestimento da fachada interna, mas sem risco estrutural. A área foi isolada e os reparos necessários serão feito pela concessionária responsável pelas obras da região, que já monitora a edificação. Na quinta-feira (9) pela manhã, um engenheiro da Defesa Civil Municipal esteve no local e esclareceu dúvidas dos funcionários.

A assessoria do Inea informou que foram tomadas todas as medidas cabíveis para garantir que não haja risco estrutural e que, de acordo com parecer da Defesa Civil, detalhado a todos os funcionários, ambos os edifícios não representam risco algum. As obras para corrigir os problemas na fachada e no muro lateral ao prédio da Justiça Federal, que fica ao lado, foram iniciadas e estão sendo acompanhadas sistematicamente pela Defesa Civil, pela Concessionária Porto Novo e pela associação de funcionários do Inea.

Mesmo com o laudo da Defesa Civil, das explicações do engenheiro da secretaria e do início de obras no local, para o sindicato o prédio continua inseguro e por isso entrarão com a denúncia no MP-RJ.  Para o diretor financeiro do Sintsama-RJ, João Xavier, os funcionários não podem continuar trabalhando em situações de risco. "Estamos coletando dados, depoimentos dos trabalhadores e fotos do local que comprovam as condições da estrutura dos prédios. Não são rachaduras pequenas", disse o diretor. 



Fonte: Agência Brasil - 14/10/2014