Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente de São Paulo (Sintaema)

Funcionários das agências da Sabesp pedem socorro

 

CTB

 

Não é de hoje que o Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente de São Paulo (Sintaema) alerta para os problemas que só crescem nas agências de atendimento de todas as regiões: Norte, Sul, Leste, Oeste, Centro e interior do estado.

 
O Sintaema ouviu trabalhadoras e trabalhadores, e a reclamação é generalizada: a demanda de serviços é muito maior que o número de funcionários para atender, sobrecarregando os trabalhadores e desagradando a população, que por sua vez fica irritada pela demora e desconta toda ira nos atendentes.
 
De acordo com o Sindicato, o cenário se agrava na medida em que o quadro de funcionários vai diminuindo (por aposentadoria, transferências, afastamentos e outros fatores) e não há substituição dessas vagas, além de agências que foram fechadas e sobrecarregaram outras.
As agências contam com aprendizes, estagiários e uma ONG, mas aí temos outro problema: em algumas agências há mais estagiários e ONG’s do que trabalhadores da Sabesp, e em outras a empresa demora às vezes quase dois meses para recontratá-los, ou seja, vence o contrato e somente depois de muito tempo a vaga é preenchida (quando é preenchida!). Vale lembrar que aprendiz não pode ir para o atendimento.
 
Desde que o horário das agências teve alteração no atendimento, passou a ser das 8 às 16h (antes era das 9 às 15h) a situação tem ficado insustentável. Os trabalhadores se queixam de que não há mais tempo durante o expediente para realizar o serviço interno, e este vem se acumulando, já que a prioridade é o atendimento. Para deixar o serviço interno em dia os trabalhadores das agências precisam fazer horas extras no final do expediente ou de final de semana, tendo que deixar em segundo plano suas famílias e vida pessoal.
 
De acordo com os trabalhadores dessas agências, os clientes ficam irritadíssimos, e com razão, mas não entendem que a responsabilidade é da Sabesp por não contratar mão de obra. Houve concurso, mas muitos não foram chamados para as agências. Já houve casos de clientes quase se agredirem entre si por causa de senha, ou agredirem verbalmente os atendentes, tamanho o nível de estresse. A população já está sofrendo com a falta d’água, terceirizações e ainda tem que encarar agências lotadas.
 
A Sabesp faz reuniões e mais reuniões de planejamento com as gerências, porém não resolve nada. A situação das agências continua estressante. Outro fator importante é a raiz dos problemas: a empresa muitas vezes não cumpre contratos de ligação de água, hidrômetros e vistorias no tempo prometido e isso repercute diretamente nas agências, que lotam de clientes reclamando do serviço atrasado ou não realizado.
 
Mas pior ainda que uma agência cheia de clientes com poucos funcionários para atender é não ter equipamento adequado para se trabalhar decentemente. Faltam equipamentos e muitos que existem estão defasados, quebrados, com defeitos, copiadoras e impressoras com problemas, cadeiras fora dos padrões ergonômicos e outros pontos que prejudicam o atendimento rápido e eficiente.
 
O Sintaema revela que este quadro está afetando a saúde física e psicológica dos trabalhadores que estão sobrecarregados e cansados mentalmente.
 
Portanto, a Sabesp precisa urgentemente tomar providências, e citamos aqui algumas baseadas nas contribuições dos trabalhadores:
 
• Contratação imediata de mão de obra própria através de concursos públicos.
 
• Redimensionamento do número de funcionários por agências. Há locais em que apenas quatro funcionários atendem de 2.500 a 3 mil clientes por mês.
 
• Contratação automática de aprendizes e estagiários para que não haja mais defasagem, e que os mesmos trabalhem no serviço interno administrativo.
 
• Compra de materiais e equipamentos necessários para o bom desenvolvimento dos trabalhos nos locais que não têm.
 
• Gerir melhor os contratos para que a população fique mais satisfeita e não desconte a má gestão da Sabesp nos trabalhadores. Afinal, eles e a população não têm culpa.
 
O Sintaema afirma que continuará mostrando esta situação caótica em que a Sabesp está em relação às agências e cobrará as providências.
 

 

Fonte: Sintaema