Sindicato dos servidores do Detran do Ceará realiza paralisação contra terceirização

Os servidores do Departamento Estadual de Trânsito do Ceará (Detran-CE) realizam uma paralisação nesta terça-feira, 21, na sede do órgão, localizado na Maraponga. O ato é para protestar contra a ementa do Governo de terceirização dos serviços públicos, segundo o Sindicato dos Trabalhadores na Área de Trânsito do Ceará (Sindetran-CE). A direção do Detran informou que não foi informada da paralisação e que será um dia normal, além de citar “motivações eleitoreiras” que culminam em decisões extemporâneas.

Segundo o Sindetran, a ementa divulgada no Diário Oficial para a terceirização dos serviços públicos mostra o ‘’desinteresse do Estado na realização de concursos para funcionários públicos e desvaloriza os servidores do órgão’’. Para Eliene Uchoa, diretora do sindicato, os servidores são tratados de forma trucuclenta e a medida retira funções, “não mostrando expectativa para a reestruturação da carreira de trânsito e transporte”.

O sindicato da categoria afirma que o Ceará vai pagar 95% do valor para a prestação de serviços à empresa Líder Axicon- Desenvolvimento Tecnológico LTDA no lugar de destinar essa verba para os serviços públicos. “A privatização de serviços preocupa os servidores porque causa um esvaziamento de renda no órgão e inviabiliza as políticas de trânsito do Estado, principalmente o Plano de Cargos e Carreiras (PCC) , que já está em há mais de oito anos”, completa o advogado do sindicato, Ramon Galvão.

Resposta

Em contato com a redação, a direção do Detran citou motivações eleitoreiras no movimento do sindicato, o que, segundo ela, vai de encontro à conquista de benefícios para os servidores. “A direção do Detran considera esse ato extemporâneo e informa que propostas para a implantação do Plano de Cargas e Carreira foram apresentadas, mas a liderança do sindicato não mostrou diálogo”, explicou o órgão, através de sua assessoria.

Ainda segundo o Detran, os servidores foram constrangidos em outras paralisações para participarem do movimento. “A direção trata com muita seriedade as negociação com a categoria, mas não foi comunicada da paralisação desta terça-feira e informa que será um dia de trabalho normal para o órgão”, completa. O POVO Online também tentou entrar em contato com a Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão do Estado, mas as ligações ainda não foram atendidas.


Fonte: O Povo Online - 20/10/2014