Sindicalistas demonstram apoio a projeto de Governança Corporativa da Cadeia Produtiva Sucroenergética

Sindicalistas demonstram apoio a projeto de Governança Corporativa da Cadeia Produtiva Sucroenergética
Foto: Divulgação

 

 

 

 

Os principais dirigentes da Força Sindical e da União Geral dos Trabalhadores – UGT participaram do evento promovido no dia 3, no Palácio dos Bandeirantes e demonstraram apoio ao projeto 

 

“Governança Corporativa da Cadeia Produtiva Sucroenergética” lamentando a saída do ex-ministro da Agricultura Roberto Rodrigues da presidência do Conselho Deliberativo da União da Indústria da Cana-de-Açúcar – Única.

Pelo menos a metade do espaço destinado ao público no Salão de Despachos do Palácio dos Bandeirantes foi ocupado. pelos sindicalistas, destacando-se as presenças do presidente do partido Soliedariedade e deputado federal Paulinho da Força, Miguel Torres presidente da Força Sindical Nacional, Danilo Pereira da Silva, presidente da Força Sindical SP, Melquíades Araújo, presidente da Federação dos Trabalhadores na Indústria da Alimentação, Cláudio Cremagrão, presidente da Federação dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo, Sérgio Leite, presidente da Federação dosTrabalhadores nas Indústrias Químicas e Chiquinho Pereira, vice-presidente da UGT – União Geral dos Trabalhadores.

Também os sindicalistas Antonio Vitor (Presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Alimentação de Sertãozinho e Região, Samuel Marquetti, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Sertãozinho e Jonathan Faleiros, presidente do Sindicato dos Comerciários de Sertãozinho, coordenadores do ato de protesto promovido em Sertãozinho na semana passada, participaram do evento no Palácio dos Bandeirantes.

Todos lamentaram a saída do ex-ministro Roberto Rodrigues da Única creditando a ele o espírito de confiança que permitiu que os elos da cadeia produtiva sucroenergética – trabalhadores, fornecedores de cana, usineiros e indústria de base – voltassem, depois de 16 anos, a atuar em bloco em defesa do setor canavieiro.

Eles apostam agora na liderança de Luiz Carlos Correa Carvalho, ex-diretor executivo da Única, atual presidente da Abag – Associação Brasileira de Agribusiness e conselheiro da Única e também em André Rocha, presidente do Fórum Nacional do Setor Sucroenergético como principais interlocutores dos usineiros no projeto de “Governança Corporativa”.

Os sindicalistas que desde o início apoiaram a criação das “Frentes Parlamentares em Defesa do Setor Sucroenergético” acabaram se afastando do movimento criado no âmbito do Congresso Nacional pela ineficiência e falta de liderança no comando das ações que acabou beneficiando apenas os usineiros e serviu de instrumento para a arrecadação de recursos para determinadas campanhas políticas.

“Temos que separar o joio do trigo e continuar lutando em defesa do setor canavieiro, deixando de lado aqueles que traíram a nossa confiança, mesmo que ocupem lugar de destaque em cargos públicos de confiança de governos que se opõem à inação da presidente Dilma Rousseff”, afirmou o sindicalista Antonio Vitor, vice-presidente da Força Sindical SP.

Antonio Vitor afirmou que os sindicalistas da Força Sindical e da UGT vieram ao Palácio dos Bandeirantes em solidariedade ao governador Geraldo Alckmin que apoia a criação da “Frente dos Governadores dos Estados Produtores de Cana-de-Açúcar que se reúne hoje em Goiânia. Segundo ele, esta frente será o viés político das reivindicações da cadeia produtiva canavieira no âmbito do projeto “Governança Corporativa da Cadeia Produtiva Sucroenergética”.

O sindicalista também afirmou que o próximo passo do movimento de “Governança Corporativa” será a “Marcha à Brasília” que está sendo programada para o início do mês de março. “Faremos uma das maiores manifestações contra a presidente Dilma Rousseff já promovidas na Capital Federal e mobilizaremos trabalhadores e fornecedores de cana de todos os Estados da Federação para mostrar nossa indignação contra a traição da presidente ao maior programa de energia limpa e renovável do planeta”, destacou.



Fonte: BrasilAgro - 04/02/2015
Saiba o que é governança corporativa.

Governança corporativa (português brasileiro) ou governo das sociedades ou das empresas (português europeu) é o conjunto de processos, costumes, políticas, leis, regulamentos e instituições que regulam a maneira como uma empresa é dirigida, administrada ou controlada. O termo inclui também o estudo sobre as relações entre os diversos atores envolvidos (os stakeholders) e os objetivos pelos quais a empresa se orienta. Os principais atores tipicamente são os acionistas, a alta administração e o conselho de administração. Outros participantes da governança corporativa incluem os funcionários, fornecedores, clientes, bancos e outros credores, instituições reguladoras (como aCVM, o Banco Central, etc.) e a comunidade em geral.