Proposta de novo valor regional segue para a Assembleia Legislativa.

01/12/2014 12h52 - Atualizado em 01/12/2014 13h50

Salário mínimo em SP aumenta para R$ 905 em 2015, diz governo

Reajuste 11,75% passa a valer no início do ano que vem.

Do G1 São Paulo

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, anunciou nesta segunda-feira (1º) aumento do salário mínimo do estado dos atuais R$ 810 para R$ 905. A proposta foi encaminhada para a Assembleia Legislativa em regime de urgência.

Segundo o governador Geraldo Alckmin (PSDB), o reajuste de 11,75% ocorre porque o estado recebe pessoas de todo o país e tal aumento valoriza o trabalho delas. Se aprovado pelos deputados, o aumento entra em vigor em 1º de janeiro do ano que vem.

O percentual do reajuste é superior ao do mínimo nacional previsto para o ano que vem (que passou dos atuais R$ 724 para R$ 788,06 - aumento de 8,8%).

O mínimo estadual é voltado para trabalhadores da iniciativa privada que não possuem piso salarial definido por lei federal, convenção ou acordo coletivo de trabalho. Em 2015, serão duas faixas salariais mínimas: R$ 905 (para domésticos, agropecuários, ascensoristas, motoboys) e R$ 920 (para operadores de máquinas, carteiros, cabeleireiros, trabalhadores de turismo, telemarketing).

Segundo o governo, a estimativa é que cerca de 8 milhões de pessoas no estado se beneficiem com o aumento.

O piso salarial regional de São Paulo foi criado em 2007. De acordo com o governo, ele contribui para que os trabalhadores paulistas recebam remunerações superiores ao salário mínimo nacional, “já que as condições da demanda de mão de obra e de custo de vida no estado levam, de um modo geral, a salários superiores à média nacional”.