PROCON-SP REVELA VARIAÇÃO DE ATÉ 976% NO PREÇO DE MEDICAMENTOS

PROCON-SP REVELA VARIAÇÃO DE ATÉ 976% NO PREÇO DE MEDICAMENTOS

28/05/2015

Pesquisa da Fundação faz ranking de preços, de produtos e orienta consumidor

Pesquisa da Fundação Procon-SP em 15 drogarias da capital revelou uma diferença de até 976% no preço dos medicamentos. O levantamento foi feito entre os dias 5 e 7 de maio e considerou 68 medicamentos, sendo 34 de referência e 34 genéricos. No interior, a mais alta diferença no preço encontrada foi de 910%.

Entre os medicamentos de referência, a maior variação foi de 296,06% na Amoxicilina, 500 mg, 21 cápsulas, da Glaxosmithkline. Em um estabelecimento ele custava R$ 15,48 e chegou a ser encontrado por R$ 61,31. O preço médio do medicamento na capital é de R$ 45,49.


Já entre os medicamentos genéricos, a maior diferença encontrada foi de 976,67% no Paracetamol, 200 mg/ml, gotas 15 ml. O custo variou entre R$ 0,90 e R$ 9,69. O preço médio do medicamento é de R$ 3,83.


A pesquisa também mostra que os preços dos genéricos são 57,72% mais baratos do que os de referência, em média, e assim os genéricos podem representar uma grande economia ao bolso do consumidor.


Bauru foi a cidade do interior que registrou maior variação de preço tanto nos genéricos quanto nos medicamentos de referência. A maior diferença encontrada foi de 910% no medicamento genérico Nimesulida, 100 mg, 12 comprimidos. Em um estabelecimento ele custava R$ 1,77 e em outro R$ 17,88. Entre os de referência a maior diferença foi no Fenergan (Cloridrato de Prometazina), 25 mg, 20 comprimidos, da Sanofi - Aventis, que variou 397%. O custo ficou entre R$ 2,00 e R$ 9,94.


Vale lembrar que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) regula os preços e que a tabela é reajustada anualmente.


Do Portal do Governo do Estado