Riscos e complicações do vírus.

Riscos e complicações do vírus.

 Vacine-se!

Quem pretende viajar para os Estados de Pernambuco ou do Ceará deve tomar a vacina contra o sarampo dez dias antes do embarque. A Secretaria Estadual de Saúde faz o alerta porque os dois Estados registraram casos da doença neste ano. A vacina tríplice viral, disponível gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS), é a medida de prevenção mais segura e eficaz contra o sarampo, a rubéola e a caxumba.

Em 2013, a doença foi constatada em diferentes regiões do mundo e resultou em óbitos no Paquistão, na Nigéria e em milhares de casos na China, Turquia, Rússia, Geórgia, Gabão, no Reino Unido e nos Estados Unidos.

Em São Paulo, foram notificados cinco casos de sarampo em 2013, todos vinculados à importação de outros países. Desde o ano 2000 não há circulação endêmica do vírus no Estado. Para Marcos Boulos, coordenador de Controle de Doenças da secretaria, os casos de sarampo são mais comuns durante a infância, mas na idade adulta e em crianças menores de um ano de vida os riscos de complicações pelo vírus costumam ser maiores.

“A vacina ainda é a forma mais segura de prevenção”,

assegura Boulos.

 

Atenção viajantes – O sarampo é uma doença de natureza viral altamente contagiosa. Sua transmissão ocorre pelo contato com a pessoa infectada, ao falar, tossir u espirrar. Também têm sido observados alguns casos de contágio por dispersão de gotículas em ambientes fechados, como escolas, clínicas médicas e creches.

As pessoas que viajaram ao exterior nos últimos 30 dias ou tiveram contato no mesmo período com alguém que viajou devem ficar atentas quanto aos sintomas da doença: febre alta, tosse, coriza, conjuntivite e aparecimento de inflamações avermelhadas na pele. Ao perceber os sintomas, o indivíduo deve procurar imediatamente atendimento médico.

Imprensa Oficial – Conteúdo Editorial

Assessoria de Imprensa da Secretaria da Saúde