PM USA BOMBAS DE GÁS PARA DISPERSAR MULTIDÃO DAS RUAS DA VILA MADALENA

por  - 
2

O Carnaval na Vila Madalena, na zona oeste de São Paulo, terminou na madrugada desta terça (17) com bombas de gás atiradas pela Polícia Militar após algumas pessoas terem jogado garrafas.

Ao menos quatro pessoas ficaram feridas, entre elas um policial, próximo à esquina das ruas Fidalga e Aspicuelta.

A confusão começou à 0h45 quando a equipe de limpeza e policiais se preparavam para fazer a dispersão dos foliões. Pelo esquema de segurança estabelecido por prefeitura e PM para a região, o prazo para a retirada é à 1h.

Algumas pessoas passaram a atirar garrafas de vidro nos policiais e nos agentes de limpeza. Os PMs revidaram com bombas de efeito moral.

No local, a Polícia Militar afirmou que usou as bombas para reagir ao ataque de alguns foliões, que feriram um policial na nuca com uma garrafa arremessada.

“Embora a prefeitura tenha colocado faixas com o horário limite de 1h, muitos frequentadores não respeitaram e passaram a agredir os policiais”, disse o capitão Eliseu Chaves de Oliveira, da PM.

De acordo com ele, 218 policiais participaram da operação na Vila Madalena.

A reportagem viu duas pessoas feridas e com sangramento –elas afirmaram que que apanharam de policiais, depois que a multidão já havia sido dispersada. A polícia não confirma.

A PM também informou que outra pessoa presente na multidão se feriu, sem detalhar as circunstâncias.

Antes do tumulto, várias brigas vinham ocorrendo nas ruas da Vila Madalena.

Assim como ocorreu durante a Copa do Mundo, no ano passado, ruas do bairro boêmio têm ficado lotadas nas noites de Carnaval.

Em noites anteriores, a polícia bloqueou os acessos às principais vias para dispersar a multidão. Na virada da noite de sábado para a madrugada de domingo, porém, a retirada aconteceu apenas por volta das 3h30.

Segundo o capitão, a PM pretende adotar tática parecida na madrugada desta quarta (18) caso os foliões voltem a resistir à retirada.

Fonte: Folha de São Paulo