Oito grupos participaram da disputa do maior trecho da BR-040.

Edição do dia 27/12/2013

27/12/2013 20h49 - Atualizado em 27/12/2013 20h49

A rodovia escoa parte da produção agrícola do Centro-Oeste e da indústria siderúrgica e também concentra um intenso movimento de passageiros.

 
 
 
 
 

O governo realizou nesta sexta-feira (27) o leilão mais disputado do programa de privatização das rodovias de um trecho considerado o de maior importância até agora.

Durou menos de meia hora o leilão mais concorrido de uma rodovia no país. Oito grupos participaram da disputa que colocou o maior trecho da BR-040 nas mãos da iniciativa privada. A rodovia escoa parte da produção agrícola do Centro-Oeste e da indústria siderúrgica e também concentra um intenso movimento de passageiros.

Por isso, o governo considerava esse leilão o mais importante do ano. O trecho privatizado vai de Brasília, a Juiz de Fora, em Minas. São quase 937 quilômetros de rodovia, cruzando 38 municípios.  Desse total, 702 quilômetros têm que ser duplicados em até 5 anos.

A concessionária também é obrigada a construir passarelas, oferecer socorro mecânico e atendimento médico de emergência.

A empresa vencedora ofereceu um valor de pedágio 61% inferior ao teto estabelecido pelo governo. A proposta que ganhou o contrato chegou a ser R$ 1,37 mais barata que a segunda colocada.

A Invepar - Investimentos e Participações em Infraestrutura - vai cobrar R$ 3,22 em cada pedágio. Serão instalados 11 ao longo da rodovia. A concessão vale por 30 anos. O consórcio formado pela construtora OAS e fundos de pensão já havia ganho a concessão do Aeroporto Internacional deSão Paulo.

“São projetos de 30, 40 anos, com retorno de longo prazo. Você tem que ter uma convicção muito grande, no setor, acreditar muito no país, no crescimento do país”, comenta Gustavo Rocha, presidente da Invepar.

O KM 0, em Brasília, já dá uma noção dos perigos pra quem pega essa estrada. Falta acostamento e há muitos buracos.

Na mesma BR-040, nesta sexta-feira, duas carretas bateram quando passavam pelo município deItabirito, região central de Minas. Um motorista morreu. Em outro ponto, perto da cidade de Três Marias, a pista cedeu com a forte chuva. O desvio aumenta a viagem em quase 300 quilômetros.

As condições da rodovia são bem diferentes logo depois de Juiz de Fora, até o Rio de Janeiro. Essa parte foi privatizada em 1996. E 76 quilômetros foram duplicados. Uma nova pista está sendo construída num trecho de serra, que liga Duque de Caxias a Petrópolis.

Em 2013, cinco rodovias federais, mais de quatro mil quilômetros de estradas, foram privatizadas. O governo diz que o programa vai continuar.