MINISTRO AROLDO CEDRAZ TOMA POSSE NA PRESIDÊNCIA DO TCU

10/12/2014 11h44 - Atualizado em 10/12/2014 12h21   

 Novo dirigente do tribunal sucederá no cargo o ministro Augusto Nardes.  

  Solenidade reuniu a presidente Dilma e chefes de Legislativo e Judiciário.

 

Nathalia PassarinhoDo G1, em Brasília

O ministro Aroldo Cedraz tomou posse nesta quarta-feira (10) na presidência do Tribunal de Contas da União (TCU) para o ano de 2015. Ele vai substituir o ministro Augusto Nardes, que ocupa o cargo desde 2013. O vice-presidente será o ministro Raimundo Carneiro.

A solenidade contou com a presença da presidente Dilma Rousseff e dos presidentes do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Ao discursar durante a posse, o novo presidente do TCU fez um agradecimento pessoal a várias autoridades presentes e, ao se referir à presidente da República, disse estar seguro de que ela irá recuperar a confiança da sociedade e do mercado.

“Estou convicto da sua seriedade e comprometimento com os mais altos valores éticos, atributos reconhecidos e elementos necessários para resgatar a confiança da sociedade e do mercado. De nossa parte continuaremos a realizar avaliações, auditorias, e a propor providências respeitando os limites constitucionalmente estabelecidos”, discursou o ministro.

Citando o ex-ministro da Fazenda Delfim Neto, Aroldo Cedraz disse que o problema do Brasil não é a falta de recursos, mas sim a gestão. “É necessário aperfeiçoar as gestões em todos os níveis de poder”.

Nascido em Valente, na Bahia, Cedraz é doutor em medicina veterinária e professor universitário. Ele foi deputado federal entre 1991 e 2007, quando foi indicado pela Câmara para ocupar vaga de ministro do TCU, tribunal responsável por julgar as contas do governo federal.

Pela regra informal que rege as eleições no tribunal, é eleito presidente o ministro mais antigo que ainda não tenha exercido a função, caso de Cedraz. O mandato é pelo período de um ano, mas cada ministro pode ocupar a presidência por dois anos seguidos – o que normalmente acontece. Portanto, Cedraz deve ficar no cargo até o final de 2016.


O ministro disse ainda que, não basta os agentes públicos serem honestos, mas também precisam ser eficientes e capazes de dar à sociedade uma prestação administração eficiente.'Tratamento técnico'
Ao discursar durante a solenidade, o ministro Bruno Dantas afirmou que o novo presidente do TCU “é um julgador atento, correto, bem preparado e esforçado”. “Agrega ao profundo conhecimento jurídico a grande intimidade com o regimento interno”, completou Dantas.

“Em 2015, no início de um novo mandato executivo e nova Legislatura, é com esse espírito exigente que o conjunto do povo brasileiro estará avaliando e julgando o Estado. Tenho certeza de que mais do que nunca os poderes saberão ler o que vai no espírito do povo”, disse.

Ele destacou ainda que a legitimidade e “autoridade” do TCU depende da capacidade do tribunal de dar “tratamento técnico” aos processos e procedimentos de investigação, sem jamais servir a “interesses” ou se tornar “instrumento da luta política”.