Metalúrgicos do Paraná debatem medidas eficazes no combate aos acidentes e doenças do trabalho

O Departamento de Saúde do Sindicato dos Metalúrgicos de Curitiba iniciou debate com vários órgãos referente ao combate aos acidentes e doenças do trabalho

Participaram da reunião na sede do Sindicato a vice-prefeita de Curitiba, Mirian Gonçalves, as Secretárias municipal e estadual do Trabalho, a CIST Municipal (Comissão Intersetorial de Saúde do Trabalhador), a Cerest (Centro de Referência em Saúde do Trabalhador), a Fundacentro, o Ministério Público do Trabalho, a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Paraná, a UGT e a CUT.

O número de trabalhadores mortos durante o exercício profissional tem crescido a uma taxa alarmante no estado do Paraná nos últimos anos e está levando o Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba a se mobilizar por medidas mais contundentes de prevenção, educação e adequação dos ambientes laborais dos poderes público e privado.

Ainda não há dados disponíveis sobre 2014, mas, de janeiro até setembro deste ano, três graves acidentes com trabalhadores de empresas tiraram a vida de metalúrgicos. Em fevereiro, Osmir Braga de Faria, mecânico da Gestamp, sofreu traumatismo craniano na fábrica da empresa em São José dos Pinhais. Nesse mesmo mês, Nilton Pires morreu após cair do telhado da Conduspar.

Já em julho, uma explosão na planta da Metalesp, em Rio Branco do Sul, causou a morte de Maicon Luan. Por último, Jeferson Wanderlei da Rocha sofreu um grave acidente, que gerou a amputação de seu braço.

Ficou definido para a próxima reunião, no dia 16 de outubro, que os representantes de cada órgão apresentem 5 propostas para a construção de um plano de ação.  


Fonte: Força Sindical - 06/10/2014