Jovens em formação policial reforçam segurança em Taubaté

14/12/2014 11h51 - Atualizado em 14/12/2014 11h51

Curso em tempo integral tem um ano de duração e conta com 26 matérias.

Rondas nas ruas faz parte do estágio operacional do curso.

Do G1 Vale do Paraíba e Região

O 5º Batalhão da Polícia Militar de Taubaté recebe 150 policiais de todo estado que realizam um treinamento de formação. Além de passar por um estágio para se tornar Policial Militar, os alunos também reforçam a segurança na cidade. A formação desta turma marca o retorno da Escola Superior de Soldados ao batalhão.

Desde 2006 as aulas tinham sido suspensas para a readequação de alguns prédios. As salas e alojamentos foram reformados e o curso foi retomado no fim do mês passado. Eles são jovens alunos e alguns, como Mônica de Oliveira Silva, seguem os passos da família.

“Eu tenho primos policiais. Praticamente cresci com isso dentro de casa. Eu sempre sonhei em ser uma policial militar. Eu sou formada em nutrição, mas não me identifiquei tanto com a nutrição como eu estou me identificando na polícia”, contou Mônica, soldado PM 2ª classe.

Esse é o início de uma carreira que exige muita disciplina. O curso tem duração de um ano. São 26 matérias no módulo específico, entre elas criminologia.

Para quem pretende ser um policial, estar de olhos bem abertos é uma lição básica para diminuir os riscos durante o trabalho. Por isso, ninguém se descuida do aprendizado em sala. Na aula de comunicação operacional, os alunos aprendem a linguagem complicada da PM e as informações são passadas em códigos.



Lucas Ferreira é bacharel em comunicação social, formando em jornalismo e agora faz a formação para soldado. “Eu vejo a Polícia Militar como empresa normal. O diferencial é que ela lida direto com o cidadão. Acredito que tenho muito a somar e dar o melhor de mim. Assim como os outros que estão comigo”.

A Escola Superior de Soldados deve reforçar a segurança da cidade. Assim como em outros cursos, esses 150 alunos precisam passar pelo estágio operacional. Assim, em breve esses aspirantes estarão fazendo rondas nas ruas de Taubaté.



Até lá, eles tem muito a aprender, começando pela adaptação e também pela saudade. “No início o complicado é a distância. Você ficar longe de casa e da família. Mas por ser uma cidade menor você vê que o tratamento das pessoas é diferente, mais próximo e está sendo muito bacana. A região é muito boa, gostoso de ficar aqui. Eu estou me adaptando bem”, disse Lucas.