Inscritos prejudicados em concurso de Valinhos/SP terão nova chance.

Inscritos prejudicados  em concurso de Valinhos/SP terão nova chance.

17/11/2014 13h26 - Atualizado em 17/11/2014 13h43

Cartão de confirmação trazia endereço errado e candidatos perderam exame.

Dois cargos de ensino superior e todos de ensino médio terão novas provas.

Do G1 Campinas e Região

Os candidatos que não conseguiram fazer a prova do concurso público de Valinhos (SP) neste domingo (16), por causa de um erro de digitação no endereço, terão uma nova chance de concorrer às vagas. A Prefeitura divulgou nesta segunda-feira (17) que as provas aplicadas para duas especialidades de ensino superior, fisioterapeuta ocupacional e psicólogo, e também para os cargos que exigem ensino médio, foram anuladas. Os exames serão refeitos e reaplicados para todos os inscritos nestas opções em outra data, ainda não definida. As pessoas que prestaram para outros postos de trabalho de ensino superior não terão os exames cancelados.

A confusão ocorreu porque o nome da rua de um dos locais que receberam inscritos estava errado no cartão de confirmação emitido pelo Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC), que organizou o concurso. Em vez de "Rua Abrantes", onde está localizada a Escola Municipal Professora Marli Aparecida Borelli Bazetto em Valinhos, os candidatos receberam "Rua Arantes" no documento. Por causa disso, algumas pessoas foram até Vinhedo (SP) e, após se depararem com o engano, voltaram para Valinhos, mas não a tempo de entrar na escola para realizar o exame.

Cerca de 21 mil candidatos se inscreveram para concorrer a 206 vagas para médicos, professores e outros cargos na Prefeitura de Valinhos.

Novo edital
Em nota, a Prefeitura de Valinhos informou que um novo edital para a reaplicação das provas será publicado no site do IBFC até a próxima sexta-feira (21). Somente os cargos fisioterapeuta ocupacional e psicólogo terão outro exame para ensino superior porque esses candidatos estavam todos concentrados na escola onde ocorreu a confusão, ou seja, não havia concorrentes em outras localidades. A decisão foi tomada em conjunto com o IBFC.

No caso dos cargos de ensino médio, os concorrentes deverão refazer as provas para: agente administrativo II; fiscal de obras; fiscal de trânsito; fiscal sanitário; inspetor de alunos; monitor cultural – acordeon; monitor cultural – canto coral e técnica cocal; técnico desportivo – arco e flecha; técnico desportivo – ginástica artística; técnico desportivo – luta de braço; técnico desportivo – luta olímpica; técnico desportivo – pilates; técnico desportivo – taekwondo;  técnico desportivo – tênis de campo; monitor cultural - artes plásticas; supervisor de campo; técnico de imobilizações; técnico desportivo – bocha; técnico desportivo - jiu jitsu; técnico em enfermagem; técnico em radiologia; técnico em segurança do trabalho.

Os candidatos que tiveram a prova anulada serão comunicados pelo IBFC por correspondência e as informações estarão à disposição nos sites do instituto e da Prefeitura. Para os que desistirem do concurso e não quiserem refazer a prova, o IBFC garante que o ressarcimento do valor da inscrição pode ser solicitado diretamente no site do instituto.

saiba mais

Sobre ressarcimento para os inscritos que tiveram gasto, de combustível ou passagem, para ir até o local de realização do concurso e terão que refazer a prova, a Prefeitura informa que vai analisar junto ao instituto a possibilidade de uma devolução.

Prejudicados podem recorrer
Três candidatos registraram boletim de ocorrência na delegacia da cidade. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, a ocorrência é de "natureza não criminal" e, segundo a delegada Ruth de Souza, não se encaixa em alguma penalidade. O registro pode ser usado pelos prejudicados caso eles decidam entrar com uma ação na Justiça.

Para o advogado Carlos Wolk Filho, os inscritos não podem ser penalizados pelo erro do IBFC e cabe ações judiciais por dano moral e material. "Elas tiveram gastos e dispuseram de tempo, estudo e deslocaram-se até as provas", explica.

Endereço da escola aparece errado em um site de)

Busca na internet mostra endereço errado
Uma das candidatas prejudicadas afirmou que fez uma busca na internet pelo nome da escola e encontrou o endereço errado. Na página de um site de pesquisa, de fato, a Escola Municipal Professora Marli Aparecida Borelli Bazetto aparece com o endereço Rua Maria Helena Arantes Junqueira, 585, Fazenda Santana, sem o nome da cidade. Esta localidade fica na cidade de Vinhedo, mas a Prefeitura afirmou que não há escola com esse nome no município.

A Prefeitura de Valinhos informou que vai analisar como proceder nesse caso, ou seja, se vai solicitar a correção do endereço da escola no site de buscas.