GOVERNO DOS EUA ALERTA TURISTAS SOBRE RISCO DE DENGUE NO BRASIL

23/04/2015

Do G1, em São PauloGoverno dos Estados Unidos emitiu um alerta para os turistas americanos que viajarem para o Brasil sobre o risco de contrair dengue.

 

O CDC (Centers for Desease Control), centro de controle de doenças do país, publicou uma nota em seu site sobre o tema na última segunda-feira (20), classificando a situação como nível de alerta 1, em uma escala de 1 a 3. A recomendação, nesse caso, é que o turista "pratique precauções usuais" -- no nível 3, por exemplo, recomenda-se que o o viajante evite viagens não essenciais ao país em questão. 

O CDC fez uma nota alertando turistas americanos sobre o risco de contrair dengue no Brasil (Foto: Reprodução/CDC)O CDC fez uma nota alertando turistas americanos sobre o risco de contrair dengue no Brasil (Foto: Reprodução/CDC)

A nota do CDC cita dados da Organização Panamericana de Saúde que mostram que até 27 de março de 2015 foram reportados 224.101 casos de dengue no Brasil, com 52 mortes. "Os casos aumentaram dramaticamente em 2015 em comparação a 2014", diz o texto, que completa com o estados mais atingidos, de acordo com o Ministério da Saúde do Brasil: Acre, São Paulo e Goiás.

O governo americano ressalta que não há vacina para prevenir a doença e recomenda que os turistas protejam usando repelente contra picadas de mosquito e cobrindo a pele com blusa de manga comprida, calça e chapéu.

 

Alessandro MeirellesDo G1 Piracicaba e Região

 
Trabalho de combate à dengue em São Pedro (Foto: Prefeitura de São Pedro/ Divulgação)Trabalho de combate à dengue em São Pedro (Foto: Prefeitura de São Pedro/ Divulgação)

A estância turística de São Pedro (SP) está em alerta por causa do avanço da dengue na cidade e na região de Piracicaba (SP). Balanço divulgado pela Secretaria de Saúde da cidade mostra um aumento de 500% da doença nos dois primeiros meses de ano, se comparados ao mesmo período do ano passado. Em 2015, foram 24 casos, ante 4 em, 2014. A Prefeitura disse que está intensificando as ações de combate e prevenção ao Aedes aegypti, principalmente nos bairros São Judas e Jardim São Pedro, que concentram o maior número de doentes.

Com 33.966 moradores, São Pedro é uma das 29 cidades consideradas estâncias turísticas por lei estadual. Por isso, recebe verbas do Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias (Dade) para uso em obras de melhoria da infraestrutura. Somente no carnaval, cerca de 70 mil pessoas visitaram o município, boa parte delas da Grande São Paulo (SP).   

Apesar do aumento, a cidade não tem arrastões ou mutirões de combate ao mosquito programados para este mês. As ações de nebulização foram feitas no ano passado, segundo a assessoria de imprensa.

O que tem sido feito, de acordo com a administração, são bloqueios químicos no interior das casas e nas imediações onde há pessoas infectadas. Nesses locais também são intensificadas ações de prevenção.


A Secretaria de Saúde também realizou em fevereiro a distribuição de folhetos. Gislene afirmou ainda que a comparação dos casos no primeiro bimestre de 2015 e 2014 deve considerar a situação epidemiológica deste ano.“Na maioria das casas encontramos focos. A população precisa estar alerta e cuidar bem dos espaços para evitar a transmissão. Mesmo em casos de vasilhas vazias, é preciso lavar bem com bucha e sabão para evitar a proliferação das larvas e os ovos, que podem durar até dois anos”, disse a responsável pela Vigilância em Saúde no município, Gislene Nicolau dos Santos.

“A realidade dos dois primeiros meses deste ano é totalmente diferente do início do ano passado, quando tivemos grande número de casos de dengue a partir do mês de abril. Agora os casos estão espalhados, há vetores em praticamente todos os bairros da cidade e há muitas ocorrências em outros municípios”, afirmou.

Limeira tem sétima morte por suspeita de dengue (Foto: Wagner Morente/Prefeitura de Limeira)Limeira tem sétima morte por suspeita de dengue
(Foto: Wagner Morente/Prefeitura de Limeira)

Região
Na região de Piracicaba (SP), duas cidade enfrentam uma epidemia da doença. Limeira (SP) já contabiliza 3.602 casos, 7 mortes suspeitas e 1 confirmada. Elias Fausto (SP) tem 225 registros.

Piracicaba está em estado de alerta, com 107 casos, segundo balanço divulgado na semana passada. Por conta disso, os arrastões que terminaram neste mês foram prorrogadosaté junho.