Ex-dirigentes vão manter cargos

21/11/2013 14:44

DIÁRIO DE S. PAULO
Mesmo fora do comando do Sindicato dos Motoristas de Ônibus da capital.
Os dirigentes que estão deixando o comando do Sindicato dos Motoristas de Ônibus da capital devem continuar na vida sindical. A começar por Isao Hosogi, o Jorginho, que sai da presidência da entidade depois de nove anos. Assim como ele, outros diretores assumirão postos em  organizações sindicais ou até mesmo no próprio sindicato. Parte dos dirigentes que apoiaram a chapa 1, derrotada na eleição em agosto, estão buscando uma aproximação com o grupo vencedor, presidido por Valdevan Noventa.
Jorginho tem evitado a imprensa desde a eleição sindical, mas aliados disseram que ele deve se dedicar integralmente à Federação dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado de São Paulo, onde ocupa o cargo de vice-presidente. A função pode obrigá-lo a conviver com seu adversário Valdevan Noventa, o novo presidente do Sindicato dos Motoristas de Ônibus,  filiado à federação. 
 
Para dirigentes da gestão que está se encerrando no sindicato, a expectativa é de que o clima pesado da disputa pelo controle da entidade – que levou a brigas, tiroteio e ao adiamento das eleições – seja superado aos poucos e possa levar a um entendimento entre as partes. O principal argumento é de que a categoria precisará de união por conta do possível cenário difícil na negociação com os empresários. O  setor empresarial é cada vez mais pressionado pela Prefeitura.