Empresas tomadoras e prestadoras de serviços de TI.

Trabalhadores de TI em São Paulo aprovam greve a partir do dia 21

Convergência Digital - Carreira 
 17/02/2014

Por unanimidade, os trabalhadores de TI do estado de São Paulo que participaram da assembleia realizada no sábado, dia 15/02, pelo Sindpd decidiram decretar greve. O movimento está agendado para começar no dia 21/02.

De acordo com a lei de greve, o sindicato deve publicar um anúncio em jornal de grande circulação, para informar as empresas tomadoras e prestadoras de serviços de TI. Após 72 horas da publicação, os trabalhadores poderão dar início às paralisações, que podem ser pontuais ou generalizadas. Ainda de acordo com a lei "é vedada a rescisão de contrato de trabalho durante a greve, bem como a contratação de trabalhadores substitutos".

"A lei é clara quando diz que a partir do momento da deflagração da greve e da comunicação nenhum trabalhador pode ser demitido, sofrer coerção ou ser proibido de fazer a greve. Estamos fazendo tudo juridicamente correto, previsto na lei de greve. A categoria está unida para dar um basta nesses patrões. Os trabalhadores de TI precisam de mais respeito, dignidade e valorização profissional", alertou o presidente do Sindpd, Antonio Neto.

A negociação salarial deste ano foi paralisada no dia 31 janeiro depois de quatro rodadas de debates entre o sindicato patronal e o Sindpd. Após a paralisação o sindicato patronal pediu uma nova reunião, mas, não houve acordo entre as partes.A última proposta apresentada pelo patronato foi de reajuste de 6,5%, obrigatoriedade de apresentação de plano de participação nos lucros e resultados (PLR) para empresas com mais de 10 funcionários, vale-refeição (VR) apenas para companhias com mais de 35 empregados e reajuste dos pisos de 7%. No caso, os trabalhadores pedem reajuste nos salários de 8,8% e nos pisos de 10,3%, além de VR e PLR para todas as empresas.