Curso sobre Atualização em Negociação Coletiva de Trabalho

Curso sobre Atualização em Negociação Coletiva de Trabalho

A Confederação Nacional das Profissões Liberais reinicia, a partir do próximo dia 11/2, no auditório de sua sede, em Brasília, o seu ciclo anual de eventos voltados para a qualificação, capacitação e atualização dos profissionais liberais, oferecendo um curso sobre Atualização em  Negociação Coletiva de Trabalho, voltado para dirigentes de entidades representativas de trabalhadores e assessores jurídicos, que será ministrado pela assessora jurídica da entidade, Maria Cristina Almeida, entre 9h e 18h. 

Maria Cristina Almeida é advogada especializada em Direito Trabalhista e Negociação Coletiva de Trabalho,  e durante sua palestra abordará conceitos de legislação na negociação e seus aspectos legais, dando ênfase sobre as formas de negociar, os dissídios e as convenções coletivas de trabalho.

“Dentro da proposta do curso, vamos tratar de um tema bastante polêmico que é a negociação coletiva e que vem sendo exigido das entidades sindicais, através do posicionamento do Judiciário e do Ministério do Trabalho e Emprego. Ou seja, os sindicatos devem cumprir o seu papel e promover as negociações coletivas em nome das categorias representadas, como pede a lei”, disse a assessora.

Para Maria Cristina, a realização de uma convenção coletiva é o momento maior da entidade sindical, seu objetivo primeiro de representação laboral e não pode, sob hipótese nenhuma, ser negligenciado pelos dirigentes que representam as categorias de trabalhadores profissionais liberais.

“Temos a necessidade de demonstrar que o profissional liberal que exerce sua profissão através de vínculo trabalhista precisa ser representado por seus sindicatos, caso contrário suas condições de trabalho são determinados pelos sindicatos majoritários. Precisamos desenvolver a pratica da negociação coletiva em nossas entidades para não corrermos o risco de futuras autuações do Ministério do Trabalho e Emprego. Em virtude disso, o MTE exige das entidades a consciência em negociar”, declarou a assessora.

Maria Cristina enfatizou ainda que é necessário impulsionar as entidades sindicais a passar o programa do mediador, uma vez que o empregado está pulverizado e não tem a prática da negociação, finalizou.

SERVIÇO:
Inscrições pelo site: www.cnpl.org.br/cursos
Informações: (61) 2103 - 1603



Fonte: Assessoria de Imprensa/Comitê de Divulgação CNPL - 09/02/2015