CTB-PR apoia greve dos educadores do Paraná e pede unidade

CTB-PR apoia greve dos educadores do Paraná e pede unidade

Nesta segunda-feira (9), mais de 5 mil educadores e educadoras do Paraná realizaram um protesto em frente à Assembleia Legislativa do estado contra as propostas de lei do governador Beto Richa (PSDB), que corta direitos dos trabalhadores e trabalhadoras. O protesto marcou o início da greve, por tempo indeterminado, deflagrada em assembleia no sábado (7). Segundo a App-Sindicato “o desmonte das carreiras no estado foi o elemento catalisador que levou milhares de professores, professoras, funcionários e funcionárias de escola a uma das maiores assembleias estaduais da categoria dos últimos anos”.

A CTB-PR propõe, diante da decisão combativa da assembleia dos professores, contra os pacotes do governo do Paraná, que subtrai direitos e assalta a população, uma reunião das centrais sindicais, para pensar estratégias de apoio a justa revolta da categoria e de todos os servidores do estado. Diante dos fatos, adiantamos que é salutar buscar o apoio de amplas camadas da população, também indignada com tais ajustes, que ao invés de penalizar os ricos, achaca as camadas menos abastadas do povo!

Todo apoio a greve dos professores e servidores do estado!

Pauta da greve

1. Retirada ou rejeição dos projetos de lei PLC 06/2015 e o 60/2015 (a nomenclatura que receberam as duas mensagens enviadas pelo governador à Assembleia Legislativa do Paraná na última semana);

2. Pagamento imediato dos salários em atraso (PSS, 1/3 de férias, auxílio alimentação, conveniadas);

3. Retomada das negociações sobre os temas educacionais e a organização escolar;

4. Retomada do Porte das Escolas (tendo como referência mínima dezembro de 2014).

Pontos imediatos para negociação

1. Retomada imediata dos projetos educacionais e programas;

2. Abertura e reabertura de turmas/matrículas, contra a superlotação das salas de aulas;

3. Nomeados de todos (as) os (as) concursados (as).



Fonte: CTB-PR com agências - 10/02/2015