CORREIOS FECHAM ACORDO E EVITAM GREVE EM MOSSORÓ

publicado por Webmaster em 21 de novembro de 2014 às 00:00 | editado em 20/11/2014 às 22:19

 

A ECT se comprometeu a pagar a Participação de Lucros e Resultados na primeira semana de dezembro. Quanto às reivindicações relacionadas à assistência à saúde, será organizado um comitê para tratar do plano de saúde dos Correios.


Em audiência realizada na quarta-feira, no Tribunal Superior do Trabalho (TST), a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) apresentou sua proposta final do benefício de Participação de Lucros e Resultados (PLR) 2013 a 2015, encerrando a possibilidade do início de greve dos funcionários dos Correios em Mossoró e possibilitando a volta das atividades nas agências de Natal onde a greve havia sido deflagrada na terça-feira passada, 18.

A ECT se comprometeu a pagar a PLR 2013 na primeira semana de dezembro. O valor a ser pago é o mesmo da proposta feita pelo ministro Ives Gandra durante a negociação, de, no mínimo, R$ 614,00 e máximo de R$ 711,00, proposta que foi aprovada pelos sindicatos filiados à Federação Interestadual dos Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras dos Correios (FINDECT). Para a PLR 2014, ficou acordado que os critérios serão os mesmos da PLR 2013. Quanto a de 2015, foi apresentada a proposta de 50% linear e 50% de parcela por indicadores, sendo esses discutidos posteriormente. Na primeira proposta de PLR 2015 a ECT havia apresentado para cesta de critérios o indicador sobre unidade organizacional, após extenso debate ficou acordado a retirada desse indicador.

Quanto às reivindicações relacionadas à assistência à saúde, o vice-presidente do Sintect/RN em Mossoró, Luís Granjeiro, afirmou que será organizado um comitê paritário para tratar do plano de saúde dos Correios. Sua função será verificar a qualidade do CorreiosSaúde e propor soluções para eventuais problemas. Este comitê será formado por quatro membros indicados pela empresa e outros quatro indicados pelas federações representativas dos trabalhadores.

De acordo com Luís Granjeiro, a categoria decidiu acatar a proposta da empresa e em Mossoró foi descartada a possibilidade de iniciar uma greve a partir de hoje.