Correios de SP podem entrar em greve a partir do dia 16

Na próxima terça-feira (09), trabalhadores dos Correios de São Paulo, se reúnem em assembleia para avaliar a realização de uma greve da categoria a partir do dia 16.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de São Paulo (Sintect-SP), a Empresa não honrou compromisso de apresentar uma  proposta de reajuste e nem de PLR (Participação nos Lucros e Resultados) na última reunião realizada no dia 28, em Brasília, entre representantes da empresa e dos trabalhadores.

“O combinado é que ela apresentaria a proposta na última reunião. Agora seus representantes alegam que apresentarão nesta quarta-feira (03).Sem proposta ou com uma inaceitável será decretado estado de greve”, declarou o presidente do Sintect-SP, Elias Cesário, o Diviza.

Além do Sintect-SP, participaram da reunião dirigentes da Federação Interestadual de Sindicatos dos Trabalhadores em Correios (Findect) e seus sindicatos filiados (Bauru, RJ, TO, RO e RN).

Além da discussão sobre o dia da apresentação da proposta de reajuste, 
outros itens foram colocados em pauta como inovações tecnológicas; jornada de trabalho nas agências e em terminais computadorizados; segurança na empresa e frota operacional.

“Assim como não apresentou a proposta para o reajuste, a empresa também não trouxe à mesa de negociações contraproposta para o reajuste das cláusulas econômicas e tão pouco para o pagamento da PLR. A primeira proposta feita por ela, de reajuste de 6,5% (INPC do IBGE acumulado no período) nos benefícios que implicam valores, foi rejeitada em assembleias da categoria”, destacou o Sintect, em nota.

A próxima assembleia da categoria está marcada para a próxima terça-feira (09), para que os trabalhadores aprovem a realização de uma greve a partir do dia 16.



Fonte: CTB - 04/09/2014