Blumenau segue sem ônibus coletivo no segundo dia de greve


No segundo dia de greve dos motoristas e cobradores de Blumenau, no Vale do Itajaí, novamente os ônibus coletivos não saíram das garagens na manhã desta terça-feira (24).

Conforme o diretor do Sindicato dos Empregados nas Empresas Permissionárias do Transporte Coletivo Urbano de Blumenau e Gaspar (Sindetranscol) Marciano Regis Arcanjo, 100% da frota está parada nesta terça.

Os motoristas e cobradores entraram em greve por tempo indeterminado na segunda (23). Todos os trabalhadores aderiram à greve, segundo o sindicato. Eles reivindicam mais segurança no trabalho.

As aulas na rede municipal estão mantidas.

Audiência de conciliação

Em assembleia na tarde de segunda, os motoristas e cobradores decidiram pela continuidade da greve. De acordo com o sindicato e com o procurador-geral do Serviço Autônomo Municipal de Trânsito e Transporte de Blumenau (Seterb), haverá uma audiência de reconciliação em Florianópolis na manhã desta terça.

A audiência ocorre na sede do Ministério Público do Trabalho (MPT), segundo o procurador-geral do Seterb, Aurélio Miguel.

 

Medidas em Florianópolis

Desde a manhã de segunda, o procurador-geral está na capital. Ele explicou que o Seterb e a prefeitura têm contrato com o Consórcio Siga, e que podem aplicar multas. Porém, não podem ingressar com ações contra o sindicato, somente o consórcio e o MPT podem.

Como fiscais do contrato, o Seterb encaminhou uma notificação à empresa e ao MPT para que eles interpusessem uma medida cautelar obrigando o sindicato a voltar ao trabalho e garantindo o serviço mínimo, explicou o procurador-geral.

Não há uma determinação em lei do quanto deve ser a frota mínima. Isso é decidido pelo Tribunal Regional do Trabalho, informou o procurador-geral.

Trânsito

Por causa da falta de coletivos na cidade, o trânsito ficou complicado em Blumenau na segunda. A Guarda Municipal está mobilizada para orientar os motoristas.

A prefeitura informou que os corredores de ônibus foram liberados para o trânsito de veículos comuns. A única exceção foi o da rua Dois de Setembro, por se tratar de um corredor no contrafluxo, o que poderia causar acidentes.

Medidas em andamento

Em nota oficial, o Serviço Autônomo Municipal de Trânsito e Transporte de Blumenau (Seterb) afirmou que "todas as medidas apresentadas na última terça-feira, dia 17, para melhorar a segurança nos terminais urbanos de Blumenau estão em andamento".

Ações como a instalação de bilheterias nos terminais Aterro, Fonte e Fortaleza e de uma central de monitoramento, revisão na iluminação dos terminais e contratação de vigilante para o Terminal Aterro já foram iniciadas e devem ser concluídas o mais breve possível, conforme o Seterb.

Paralisação na quarta (18)

Na quarte, os trabalhadores fizeram uma paralisação entre 15h e 16h30. Conforme o Sindetranscol, 100% da frota aderiu ao movimento nos seis terminais urbanos da cidade.

A paralisação também foi motivada pela falta de segurança nos terminais urbanos. "Nós negociamos com o Seturb para uma solução de segurança privada nos terminais e não chegamos a um consenso", disse na ocasião o diretor do sindicato Marciano Regis Arcanjo.

Os motoristas alegam que a violência na região dos terminais é crescente, com problemas de assalto e tráfico de drogas.



Fonte: Joana Caldas/G1 - 24/02/2015