Avibras volta a atrasar salários e Sindicato dos Metalúrgicos convoca assembleia

A Avibras prorrogou por mais uma semana a licença remunerada de todos os trabalhadores da fábrica, em Jacareí, e voltou a atrasar os salários. Nesta quinta-feira, dia 8, haverá uma assembleia com os trabalhadores da Avibras, no Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, às 9h. 

Os funcionários da Avibras estão em licença desde o dia 17 de dezembro e deveriam ter retornado na segunda-feira, dia 5, ao trabalho. Entretanto, eles foram informados que só deverão voltar à fábrica dia 12. Os salários de dezembro e a primeira parcela da PLR (Participação nos Lucros e Resultados) deveriam ter sido pagos também no dia 5 de janeiro, mas não há previsão de quando o depósito será feito. 

A empresa já pediu abertura de negociação com o Sindicato para adoção de lay-off (suspensão de contratos de trabalho) na fábrica.

A situação não é por falta de clientes. A empresa tem R$ 2,4 bilhões em carteira de pedidos, com contratos já assinados, mas alega que está sem capital de giro. 

O Sindicato protocolou, na última terça-feira, dia 6, pedido de reunião com o ministro da Defesa, Jacques Wagner, para relatar a situação dos 1.500 funcionários da Avibras e reivindicar que o governo federal tome providências em favor dos trabalhadores. Em dezembro, foi deflagrada uma greve contra os atrasos salariais, que se repetiram diversas vezes ao longo de 2014.

Por se tratar de uma empresa estratégica para o país, o Sindicato defende a estatização como única saída para a Avibras, maior fabricante brasileira de equipamentos militares, com 54 anos de história. Entre seus clientes estão governos da Arábia Saudita, Indonénia, Catar e Malásia.

“Já passou da hora do governo estatizar a empresa. A própria Avibras admite que está em seu melhor momento, mas para os trabalhadores sobra apenas calote”, afirma o diretor do Sindicato Elias Osses. 



Fonte: Shirley Rodrigues/Assessoria Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região - 07/01/2015