As centrais sindicais que atingem no mínimo 7% no índice de representatividade podem receber uma parte do imposto sindical

Ministério do Trabalho publicou nova aferição das centrais sindicais/2014

Olá companheiros!

O Ministério do Trabalho e Emprego publicou na semana passada os novos índices de representatividade das centrais sindicais. Os números foram publicados no Diário Oficial da União (DOU) com as cinco centrais que atingiram tal marca.

Veja a representatividade de cada central.

CUT - 34,39%
Força Sindical - 12,59%
UGT - 11,92%
CTB - 9,33%
Nova Central - 8,01%

As centrais sindicais que atingem no mínimo 7% no índice de representatividade podem receber uma parte do imposto sindical e ao atingir este índice mínimo, as centrais também poderão participar de conselhos do governo, como o que administra o Fundo de Amparo do Trabalhador (FAT).

Neste novo aferimento, algumas centrais elevaram o seu índice de representatividade, como é o caso da UGT que foi de 7,98% em 2010 para os atuais 11,92%.

A central tem o importante papel de apoiar os sindicatos que estão filiados a ela, mas também por causas que serão benéficas, não somente para uma categoria, mas para toda a sociedade.

Dentre as pautas que podemos citar estão a luta pela redução da jornada de trabalho, o fim do fator previdenciário.

Por esse motivo, as centrais se tornaram importantes para os trabalhadores e sociedade.

Até a próxima!

Equipe Mundo Sindical