Acidente de Santa Catarina é o maior com um único ônibus e pode ter ocorrido por cansaço do motorista

Postado dia 17/3/2015 

Conforme o Estradas.com.br apurou, o motorista passou a noite em claro e uma das vítimas, em entrevista ao Jornal Nacional, confirmou o temor dos passageiros que ele pudesse dormir ao volante. Embora exista a hipótese da falha no sistema de freio, o fato é que o motorista não tentou fazer a curva, dirigiu direto para o despenhadeiro. Comportamento no mínimo irracional pois qualquer profissional tentaria fazer a curva, ainda que sem freio.

Este acidente é o maior da história brasileira com ônibus sem envolvimento de outro veículo. Há dois casos apenas com mais vítimas mas envolveram dois ônibus numa colisão frontal e outro com varios veículos, inclusive caminhão.

Caso a Lei 12.619/12, a chamada Lei do Descanso dos Motoristas Profissionais estivesse em vigor e sendo fiscalizada o motorista do ônibus o acidente em questão não poderia seguir viagem, teria que entregar o veículo para outro profissional. A revogação da Lei do Descanso foi sancionada pela Presidente Dilma apenas 11 dias antes, com a nova Lei 13.103/15. A nova lei é tão absurda que considera que quando o motorista do ônibus ou do caminhão dorme no veículo em movimento está descansando.
Art- 235-D
§ 5o Nos casos em que o empregador adotar 2 (dois) motoristas trabalhando no mesmo veículo, o tempo de repouso poderá ser feito com o veículo em movimento, assegurado o repouso mínimo de 6 (seis) horas consecutivas fora do veículo em alojamento externo ou, se na cabine leito, com o veículo estacionado, a cada 72 (setenta e duas) horas.

As entidades de vítimas de trânsito alertaram inúmeras vezes o Governo de que a sanção dessa nova lei provocaria milhares de mortes nos próximos anos. Inclusive batizaram os deputados que lutaram pela revogação da Lei do Descanso como “Bancada da Morte”, cujos principais “coveiros”, na versão das vítimas são os deputados: Nelson Marquezelli, Jerônimo Goergen, ex- deputado, Vilson Covatti, Valdir Colatto, Diego Andrade, Jovair Arantes, Junji Abe, Vicentinho, Paulinho da Força, Sem contar os sindicalistas pelêgos, empresários mal intencionados, embarcadores irresponsáveis, transportadores escravocratas.

Nomes que não serão esquecidos pelas entidades de vítimas de trânsito e por todos os que perderam e perderão seus filhos, esposas, maridos, pais, amigos e parentes em geral nos acidentes provocados pela fadiga dos motoristas profissionais.

Muitos motoristas acham que suportam dirigir muitas horas e até sem dormir. Os fatos mais trágicos mostram as consequências. Quanto a revogação da Lei do Descanso, sempre dissemos que existem várias formas de matar no trânsito, uma delas é com leis absurdas como essa.

É fundamental que a sociedade entenda que não se tratava de uma Lei de Caminhoneiros mas de segurança para todos. O limite estabelecido na lei era baseado em critérios técnicos. A nova lei coloca em risco a segurança de todos. E não adianta politizar atribuindo a este o outro partido a aprovação da nova lei e sanção pela Presidente.

O que falou mais alto nesse caso foi o lucro a qualquer preço e contou com o apoio de quase todos os partidos. Naturalmente, que se materializou com a sanção da Presidente Dilma, que deixará na sua história política um rastro de sangue nas estradas. Mas insistimos, a aprovação na Câmara foi feita com a maioria de praticamente todas as correntes políticas. PT, PMDB, PSDB, DEM, PTB,PP, para citar os maiores. Todos unidos em torno dos interesses econômicos com raros colegas que se rebelaram no voto. Triste um país que vale mais o lucro fácil que a vida humana.

http://globotv.globo.com/…/policia-de-santa-catari…/4039997/