A grande possibilidade do Brasil crescer, e vir a ser um país de primeiro mundo.

A grande possibilidade do Brasil crescer, e vir a ser um país de primeiro mundo.

BRASIL - Republica Fedrativa do Brasil é o maior país da América do Sul, é o quinto maior do mundo.

                               O Brasil é a maior economia da América Latina, a segunda da América (atrás apenas dos Estados Unidos) e a sétima maior do mundo, tanto nominalmente quanto em paridade do poder de compra, de acordo com o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial.

                                            O país tem uma economia mista com vastos recursos naturais. Estima-se que a economia brasileira irá se tornar uma das cinco maiores do mundo nas próximas décadas. O PIB (PPC) per capita atual é de 15 153 dólares (2014).

                                   Ativo em setores como mineraçãomanufaturaagricultura e serviços, o Brasil tem uma força de trabalho de mais de 107 milhões de pessoas (6ª maior do mundo) e desemprego de 6,2% (64º no mundo).

                  O país vem ampliando sua presença nos mercados financeiros e de commodities internacionais e é um BRICs

                                  O Brasil tem sido o maior produtor mundial de café dos últimos 150 anos e tornou-se o quarto maior mercado de automóveis do mundo.

                          Entre os principais produtos de exportação estão aeronaves, equipamentos elétricos, automóveisetanoltêxteiscalçadosminério de ferroaço, café, suco de laranjasoja e carne enlatada.

                       O país participa de diversos blocos econômicos como o Mercado Comum do Sul(Mercosul), o G20 e o Grupo de Cairns, e sua economia corresponde a três quintos da produção industrial da economia sul-americana. O Brasil comercializa regularmente com mais de uma centena de países, sendo que 74% dos bens exportados são manufaturas ou semimanufaturas. Os maiores parceiros são: União EuropeiaMercosulAmérica LatinaÁsia e Estados Unidos.

                           De acordo com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) o setor do agronegócio responde por 23% do PIB brasileiro (2013).[258] O Brasil está entre os países com maior produtividade no campo, apesar das barreiras comerciais e das políticas de subsídiosadotadas pelos países desenvolvidos.

                           Em relatório divulgado em 2010 pela OMS, o país é o terceiro maior exportador de produtos agrícolas do mundo, atrás apenas de Estados Unidos e União Europeia.

              A indústria de automóveis, aço, petroquímica, computadores, aeronaves e bens de consumo duradouros contabilizam 30,8% do produto interno bruto brasileiro. A atividade industrial está concentrada geograficamente nas regiões metropolitanas de São Paulo, Rio deJaneiro,Curitiba,Campinas,PortoAlegre,Belo Horizonte, Manaus, Salvador, Recife e Fortaleza.

            Entre as empresas mais conhecidas do Brasil estão: Brasil FoodsPerdigãoSadia e JBS (setor alimentício); Embraer (setor aéreo); Havaianas e Calçados Azaleia (calçados); Petrobras(setor petrolífero); Companhia Vale do Rio Doce (mineração); Marcopolo e Busscar (carroceiras); Gerdau (siderúrgicas); Organizações Globo (comunicação).

Resultado de imagem para mala de dinheiro e a policia

corrupção, no entanto, custa ao Brasil quase 41 bilhões de dólares por ano e 69,9% das empresas do país identificam esse problema como um dos principais entraves para conseguirem penetrar com sucesso no mercado global.

 No Índice de Percepção da Corrupçãode 2014, criado pela Transparência Internacional, o Brasil é classificado na 69ª posição entre os 175 países avaliados. O poder de compra brasileiro também é corroído pelo conjunto de problemas nacionais chamado "custo Brasil". Além disso, o país apresenta uma das menores taxas de participação do comércio exterior no PIB, sendo classificado como uma das economias mais fechadas do mundo. No Índice de Liberdade Econômica de 2015, por exemplo, o país foi classificado no 118º lugar entre 178 nações avaliadas.

 Apesar de também ser um problema crônico, desde 2001 os níveis de desigualdade social e econômica vêm caindo, chegando em 2011 aos níveis de 1960, embora o país ainda esteja entre os 12 mais desiguais do planeta.

Para isto, é imprescindível olhar para os estudantes e compreender os desafios cotidianos que estes enfrentam em seus territórios, como a pobreza, a violência, a discriminação, a falta de acesso a equipamentos públicos de lazer e e bens culturais, entre outros.

Nossos jovens almejam romper o círculo vicioso da pobreza. E isto não é possível sem acessar o mundo do conhecimento desde a primeira infância. Querem que a escola seja realmente deles. Querem uma vida melhor. Querem aprender a sonhar, a educação é a parte importante nesse caminho.A falta de conhecimento pode acarretar um despreparo para que a vida seja conduzida de uma maneira própria e apropriada ao que pretendemos alcançar. Assim, partimos do não saber para adquirir novos saberes, iniciando um processo de descoberta; atitude que nos auxiliará a transcender aos momentos de inconsciência e ir ao encontro de orientação a nossa vida. 

A necessidade de adquirir conhecimento nos incentiva a uma atitude de buscar para descobrir um mundo novo, trocamos idéias, discutimos ações futuras.

Com um país tão grande, cheio de riquezas, podemos preparar nossos jovens para um país melhor, novas leis, novas normas, com olhar para um futuro promissor.

 

 

 
Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz), Rio de Janeiro

 
Plataforma petrolífera P-51 da estatal brasileira Petrobras. Desde 2006 o país equilibra sua balança de petróleo.
 
Vista panorâmica da Usina Hidrelétrica de Itaipu, na fronteira Brasil–Paraguai. Em 2015, era a maior hidrelétrica do mundo em geração de energia. Aproximadamente 75% da matriz energética brasileira, uma das mais limpas do mundo, é proveniente da hidroeletricidade