Expulsão dos ciganos

29/09/2013 12:09
FRANÇA - 
Artigo publicado em 25 de Setembro de 2013 - Atualizado em 25 de Setembro de 2013

Comissão Europeia volta a ameaçar a França pela expulsão de ciganos

Favela na região parisiense ocupada por ciganos
Favela na região parisiense ocupada por ciganos
nationspresse.info

 

RFI

A Comissão Europeia voltou a ameaçar a França de sanções nesta quarta-feira pela expulsão dos ciganos que vivem em acampamentos ilegais. O porta-voz da Comissão Olivier Bailly lembrou que os ciganos "são cidadãos europeus e têm o direito de circular nos países membros da União Europeia."

 

"A livre circulação e a liberdade de residir em um outro país são direitos fundamentais. Se esses princípios não forem respeitados, a Comissão utilizará todos os meios à disposição para sancionar a violação desses direitos", declarou o porta-voz da Comissão.

A polêmica sobre a presença dos ciganos na França, muitas vezes associados ao aumento da criminalidade, voltou à tona depois de o ministro do Interior Manuel Valls declarar em uma entrevista à rádio francesa France Inter que os ciganos deveriam voltar para a Romênia ou a Bulgária.

O ministro francês também disse que a maneira de viver dos ciganos "era muito diferente" e seria uma ilusão pensar que o problema seria resolvido "através da inserção dessas minorias."

Outros representantes de partidos de direita, entre elas a candidata à prefeitura de Paris Nathalie Kosciusko-Morizet, do partido de oposição UMP,  defenderam medidas rígidas contra os ciganos. Segundo ela, eles estariam "assediando" a população.

Uma declaração que provocou indignação entre as associações de direitos humanos e algumas ONGs. Hoje a Anistia Internacional fez um apelo pelo fim das expulsões no país.

Para a vice-presidente da Comissão de Justiça, Viviane Reding, tais afirmações, que estigmatizam a população, visam as eleições municipais que acontecem na França em 2014.

Em 2012, uma circular publicada pelo governo francês determinou que uma expulsão não poderia ser executada antes de um "diagnóstico social."

A Romênia e a Bulgária não fazem parte do espaço Schengen, e por isso os cidadãos desses países não têm autorização para trabalhar na França.

A adesão não tem um prazo determinado, já que a decisão que precisa ser aprovada por unanimidade pelos 26 países membros.

Entre 10 e 12 milhões de ciganos vivem na Europa. Desde total, segundo a Anistia Internacional, 1,8 milhão são originários da Romênia, 750 mil são búlgaros 490 000 são eslovacos e 150 mil são italianos.
 

 
TAGS: BULGÁRIA - CIGANOS - COMISSÃO EUROPEIA - ESLOVÁQUIA - FRANÇA - ITÁLIA - MANUEL VALLS - POBREZA -ROMÊNIA