Aquecimento global

29/09/2013 12:25
CIÊNCIA/CLIMA - 
Artigo publicado em 27 de Setembro de 2013 - Atualizado em 27 de Setembro de 2013

Aquecimento global é causado pelo homem e deve aumentar, diz IPCC

O Peru abriga 71% das geleiras tropicais no mundo, que são uma fonte de água para milhares de pessoas, mas 22% dessa área de geleiras desapareceu nos últimos 30 anos.
O Peru abriga 71% das geleiras tropicais no mundo, que são uma fonte de água para milhares de pessoas, mas 22% dessa área de geleiras desapareceu nos últimos 30 anos.
Reuters

 

RFI

O relatório do IPCC, Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas, divulgado nesta sexta-feira, 27 de setembro de 2013, em Estocolmo, na Suécia, conclui que o aquecimento global é uma realidade incontestável, é provocado pelo homem e vai durar até o final deste século. Cientistas calculam que na projeção mais pessimista a temperatura na Terra deve aumentar 4,8 °C até 2100.

 

Os especialistas elaboraram quatro cenários possíveis para as próximas décadas. Nas previsões mais otimistas, eles projetam que até 2100 a temperatura na Terra deve aumentar 0,3 °C. Já na projeção mais pessimista essa alta pode chegar a 4,8 °C.

Na avaliação dos cientistas, as mudanças climáticas vão depender do aumento do ritmo da emissão de gases que provocam o efeito estufa. Mas, eles argumentam, já é possível antecipar que as ondas de calor tendem a ser mais intensas e mais duradouras, que as regiões que já são chuvosas terão índices pluviométricos ainda mais elevados e, ao contrário, as regiões secas terão menos chuvas. O relatório, porém, diz que pode haver algumas exceções.

Qin Dahe, co-presidente do IPCC, declarou que, com o aquecimento dos oceanos, o derretimento das geleiras vai elevar o nível do mar num ritmo mais acelerado que o que foi observado nos últimos 40 anos, podendo sofrer uma elevação de 26 a 82 cm até 2100.

Em estudos anteriores, apontava-se que a alta do nível do mar não ultrapassaria 59 cm. Mas os cientistas tiveram que rever esses cálculos porque haviam subestimado o impacto do derretimento das geleiras na Groenlândia e na Antártica.

Algumas das conclusões do relatório já tinham sido divulgadas pela impresa nos últimos dias, mas, com a divulgação completa hoje, o IPCC, que foi criado pela ONU, espera que os líderes mundiais tomem medidas concretas a fim de prevenir consequências desastrosas para a população mundial.

A receita do IPCC é objetiva: é preciso diminuir de forma "substancial" a emissão de gases tóxicos. No dia 30 de setembro, o IPCC vai divulgar um esboço do Atlas Global e Regional das Mudanças Climáticas.

"A verdade que incomoda foi confirmada", os do IPCC, a verdade que incomoda foi ocnfiramda: as mudanças climáticas são reais, elas acontecem em um ritmo alarmante e são provocadas pelas atividades humanas, principalmente a combustão",  afirmaram as principais ongs ambientalistas - greenpeace, Oxfam, WWF e Amigos da Terra - em um comunicado conjunto após a publicação do relatório.

"Sabemos que o setor da energia é o principal culpado, mas também a principal solução, para as mudanças climáticas", acrescentaram as ongs, que acreditam que "as energias renováveis constituem uma solução simples, comprovada e economicamente viável".